Siga-nos

Entrevistas

José Aldo detona TJ Dillashaw por ter lutado lesionado no UFC 280: “Papelão”

Após a realização do UFC 280, com sede em Abu Dhabi (EAU), T.J Dillashaw foi alvo de críticas após ter revelado que entrou em ação lesionado no combate contra Aljamain Sterling, que valia o cinturão dos pesos-galos (61 kg). Algumas semanas após o show, a lista de críticos do atleta da ‘Treigning Lab’ ganhou um reforço de peso: José Aldo. Em entrevista exclusiva à Ag Fight, o lutador brasileiro detonou a atitude do ex-campeão americano no episódio.

A forma com que Dillashaw lidou com a situação pode, inclusive, ter afetado, de certa forma, a reta final da carreira de Aldo. Afinal de contas, ao optar por competir lesionado, o americano ocupou o posto de desafiante da categoria durante meses, que poderiam ter sido cruciais em favor do brasileiro. O ‘Campeão do Povo’ revelou que poderia ter sido o reserva da luta pelo título, mas que preferiu se manter ativo e encarar Merab Dvalishvili – que viria a ser seu último oponente dentro do MMA.

“Eu não vi, mas me falaram. Meus (amigos) próximos ficaram revoltados, xingam até hoje. Como a América xinga ele de tudo, cobra, sempre foi esse atleta. Não esperava coisa diferente, é um cara que já burlou várias vezes, então não iria fazer uma coisa honrosa. Já esperava isso, a gente tinha informações que ele estava machucado, tinha passado por cirurgia e não estava nem conseguindo treinar. A gente sabia que ele não ia conseguir lutar”, destacou Aldo, antes de tecer críticas à atitude de T.J.

“O Dedé até perguntou para mim sobre a possibilidade de eu aceitar ser o cara reserva, para caso ele caísse (fora) da luta, a gente aceitar. Mas eu falei que não, porque queria lutar com alguém, escolhi o Merab, não me arrependo. Poderia muito bem sentar e esperar (title shot). Mas é fogo, não adianta chorar leite derramado, agora é enxugar e continuar nossa vida. Ele viu a luta que fez, todo mundo ficou desapontado pela apresentação horrível dele, chegou lá dentro e fez um papelão. Não só para mim, para os fãs, mas para o UFC, que investe milhões para o cara saber que não vai chegar lá 100% (…) Ele é um atleta que pensa bem pequeno”, completou o brasileiro.

Ex-campeão peso-pena (66 kg) do UFC e um dos maiores ídolos dos esportes de combate produzidos pelo Brasil, Aldo anunciou sua aposentadoria após ser derrotado em agosto passado. Aos 36 anos, o atleta já deixou claro que seu próximo passo é realizar seu sonho pessoal de voltar suas atenções para o boxe e competir nos ringues no futuro.

Mais em Entrevistas