Siga-nos

Entrevistas

Brasileira brinca com convite ‘às pressas’ para estrear no UFC: “É só chamar”

No dia 23 de agosto, Denise Gomes derrotou Rayanne dos Santos em sua participação no Contender Series para garantir um contrato com o Ultimate. Hoje, apenas três semanas depois, a brasileira já está prestes a realizar sua estreia na maior organização de MMA do mundo. Às vésperas do evento, agendado para este sábado (17), a atleta da equipe ‘PRVT’ admitiu que não esperava um convite para competir tão cedo no octógono.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag Fight (clique aqui), Denise revelou que manter a rotina de treinos logo após a disputa do Contender foi crucial para estar apta a aceitar um convite para lutar no curto prazo. Com bom humor, a peso-palha (52 kg) aproveitou para brincar com a situação e opinar sobre a possibilidade de voltar aos octógonos em mais oportunidades ainda nesta temporada.

“Saí da luta (do Contender) bem. Então pensei comigo: ‘Vou continuar treinando’. Comi um pouco de besteira, mas logo já voltei a treinar, porque estava na minha cabeça: ‘Vão me chamar, vão me chamar’. Aí já voltei a treinar na mesma semana, e na semana seguinte meu mestre mandou: ‘E aí, vamos?’. Respondi: ‘Claro, vamos nessa!’. Saí da última luta sem machucado. Não foi difícil negociar, a gente tem que encarar o que vier. Foi inesperado (o convite), mas foi na hora certa. Tinha que acontecer desta forma”, destacou, antes de se mostrar à disposição para ser uma atleta cada vez mais assídua na companhia.

“Precisou, é só chamar. Eu sou assim. Já saio da luta querendo lutar de novo, com vontade, sede de mais luta. Enquanto estiver com saúde e bem – até porque tenho que dar tudo de mim agora (enquanto jovem). Amém, acho que dá (mais 3 lutas em 2022). Se continuar nesse ritmo dá para fazer, uma em cada mês (risos)”, completou.

Denise enfrenta Konklak Suphisara em seu debute no Ultimate. Com pouco tempo de preparação, a brasileira exaltou as credenciais de sua adversária e traçou um plano de jogo para o confronto diante da tailandesa.

“A gente já vem treinando muay-thai, faz parte da nossa rotina, e o jogo dela é bem (baseado) no muay-thai. Minha estratégia é trocar um pouco com ela, ver como vou me sair e também ter a possibilidade de mostrar que tenho jiu-jitsu. Tenho que tomar cuidado com os joelhos e cotovelos dela, que ela joga do nada. Chutes rápidos. Estou treinada para (lidar) com isso. Modéstia à parte, estou bem confiante”, frisou a peso-palha.

Em sua trajetória como profissional de MMA, Denise, de apenas 22 anos, soma seis vitórias e uma derrota no cartel.

Mais em Entrevistas