Siga-nos

Entrevistas

Deiveson Figueiredo declara torcida por Kai Kara-France em luta contra Moreno

Campeão do peso-mosca (57 kg) do UFC, Deiveson Figueiredo não esconde sua insatisfação com os rumos de sua categoria. O brasileiro atuou pela última vez em janeiro, na Califórnia (EUA), e reconquistou o cinturão. Porém, ele machucou a mão, o que o impediu de retornar ao octógono na data que a companhia gostaria. Por isso, o Ultimate anunciou a luta Brandon Moreno vs Kai Kara-France válida pelo título interino da divisão, que deixou o paraense ainda mais contrariado. Mesmo assim, o atleta deu seu parecer sobre o importante duelo.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight (clique aqui), Deiveson não ficou em cima do muro e informou que Kai Kara contará com a sua torcida para o combate contra Moreno. Vale lembrar que o brasileiro já tinha expressado o interesse em enfrentar o neozelandês, ao invés de realizar o quarto combate com o desafeto, com quem acumula rivalidade empatada em uma vitória para cada, além de um empate.

O campeão do peso-mosca do UFC explicou que o fato de conhecer o mexicano como poucos é um dos motivos que o leva a torcer pelo triunfo de ‘Don’t Blink’, pois este pode ser um oponente inédito. Além disso, o paraense ressaltou que não esqueceu o ataque racista que sofreu por parte de Marcelo Rojo, um dos membros da equipe de Moreno, em junho de 2021. Na ocasião, o profissional utilizou um filtro do ‘Instagram’ para substituir o rosto de Deiveson por o de um de macaco. É bem verdade que quem cometeu o ato foi o argentino, mas, de acordo com ‘Daico’, Brandon foi conivente com o mesmo.

“Quero muito que o Kai Kara vença. Já lutei três vezes com o Moreno. Ele é um novo cara, um novo jogo e tenho certeza que a gente vai dar um espetáculo para a galera. O Moreno é um saco. Ainda teve aquela palhaçada que ele fez, do racismo comigo. É um cara que perdi o desejo de lutar”, declarou o campeão do UFC.

A luta entre Brandon Moreno e Kai Kara-France, que acontece em julho, é válida pelo cinturão interino do peso-mosca do UFC e é uma revanche. No primeiro confronto, realizado em 2019, o ex-campeão da categoria passou pelo neozelandês por decisão unânime. O vencedor do embate vai medir forças com Deiveson Figueiredo.

Mais em Entrevistas