Siga-nos
Louis Grasse/PxImages

Entrevistas

Após reunião, ‘Alpha Male’ descarta retorno de Deiveson no momento

Após ter perdido o cinturão peso-mosca (57 kg) do UFC para Brandon Moreno no último sábado (12), Deiveson Figueiredo revelou ter interesse em voltar a treinar na ‘Team Alpha Male’, tradicional academia liderada pelo veterano Urijah Faber e sediada na Califórnia (EUA), onde o paraense já fez dois camps no passado. No entanto, o interesse do atleta colidiu com a meta de umas das estrelas do time: Cody Garbrandt.

Após reunião entre os líderes e treinadores da equipe nesta sexta-feira, o time americano adiou um possível retorno de Deiveson. E quem deu detalhes desses bastidores foi Fabio ‘Pateta’ Prado, responsável por afiar o jiu-jitsu de alguns dos principais nomes da Alpha Male e que conversou diretamente com Urijah Faber sobre o interesse do brasileiro.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag Fight, ‘Pateta’ afirmou que o retorno de Deiveson foi colocado em pauta, mas que um possível cruzamento com Cody Garbrandt no octógono tornou a possibilidade inviável no momento. Deiveson e Garbrandt chegaram a ter uma luta marcada para o ano passado, válida pelo título dos moscas, mas acabaram não medindo forças por causa de uma lesão sofrida pelo americano – fato que o retirou de ação e, consequentemente, da disputa.

“O Cody está disposto a competir na categoria até 125 pounds (52 kg), e aí ficaria complicado. Somos um time unido, treinamos todos juntos. Ficaria difícil, ao menos por enquanto. Foi isso que ficou decidido. O Cody quer disputar a cinta”, declarou o treinador brasileiro, relembrando que os dois ex-campeões já dividiram o tatame anos atrás.

“Eles fizeram alguns treinos leves, de pouco toque. Nada pesado. Foi uma experiência bacana para os dois. O Cody estava focado nos galos (61 kg) naquela época”, ressaltou Pateta.

Possivelmente, uma das vantagens para Deiveson em buscar se juntar novamente à equipe americana seria o trabalho de wrestling desenvolvido na academia. Tal ponto iria de encontro ao trabalho necessário para o brasileiro reconquistar o título dos moscas, perdido para Brandon Moreno.

“Com o Deiveson treinado, o Moreno não vê nem a cor da placa. Eu botei um dinheiro nele (Deiveson) e perdi. Porque, pelo que eu conheço do Daico, eu achei que ele ia destruir”, revelou.

No último sábado, pelo co-main event do UFC 263, disputado no Arizona (EUA), Deiveson Figueiredo viu seu reinado na divisão dos moscas acabar ao ser finalizado pelo mexicano Brandon Moreno, no terceiro round da disputa. Em bate-papo exclusivo com a reportagem da Ag Fight, o paraense citou o desgastante corte de peso e alguns problemas enfrentados por ele durante a preparação para o combate, como o pouco material humano disponível para ajudá-lo nos treinos, como pontos que precisam ser revistos e modificados por ele.

Mais em Entrevistas