Siga-nos
Louis Grasse/PXImages

Boxe

Estreia no boxe profissional não deve valer para cartel de Cris Cyborg; entenda

O sonho de Cris Cyborg de estrear no boxe profissional finalmente será realizado. Neste domingo (25), a multicampeã de MMA encara Simone Aparecida da Silva no Fight Music Show, em Curitiba, em duelo que, apesar da visibilidade do evento, conta com uma polêmica. Ao que tudo indica, a disputa não deve contar para o cartel oficial das atletas.

Derrotada em agosto passado por nocaute por Jessica Camara, Simone recebeu suspensão médica da Comissão de Boxe do Texas de 60, conforme noticiado pelo site MMA Fighting, o que levou a Organização Brasileira de Boxe a não chancelar o evento. Desta forma, o resultado não será adicionado ao cartel profissional das lutadoras.

“O Jones Kennedy, árbitro Internacional e olímpico de boxe, ficou reticente de chancelar a luta por conta dessa suspensão da comissão do Texas. Eu acho que não tem nada a ver, pois a Comissão do Texas é local’, afirmou uma fonte ligada à organização do show.

Desta forma, para ser realizada, a luta contará com a chancela local da Associação Paranaense de Lutas. Os promotores do FMS ainda não se pronunciaram a respeito sobre o caso, mas a comunicação oficial do show respondeu o contato da reportagem da Ag Fight com o seguinte comunicado.

“A Simone foi nocauteada com um golpe na linha de cintura há quase 50 dias. Os exames estão todos ok. Então, tá tudo certo para a luta. A Associação Paranaense de Lutas vai chancelar e manter como profissional”.

Aos 39 anos, Simone conta com 17 vitórias e 22 derrotas em seu currículo no esporte. A atleta foi derrotada em suas últimas nove apresentações no ringue. Por sua vez, Cyborg, ex-campeão do UFC e dona do cinturão dos penas (66 kg) do Bellator, fará sua estreia na modalidade.

Mais em Boxe