Siga-nos
Louis Grasse/PxImages

Boxe

Comentarista do UFC questiona suposto erro na cronometragem em luta de título no boxe

Realizada no último sábado (25), em Londres (ING), a disputa de título entre Anthony Joshua e Oleksandr Usyk coroou o ucraniano como novo campeão mundial dos pesos-pesados, frustrando os milhares de presentes, que torciam pelo lutador da casa. Apesar de Usyk ter mostrado de forma convincente sua superioridade sobre o britânico em grande parte dos 12 rounds da batalha, como prova a vitória por decisão unânime dos juízes, o combate não deixou de render uma possível polêmica.

Nos momentos derradeiros da luta, com Oleksandr Usyk atacando ferozmente Anthony Joshua e, aparentemente, ficando próximo de nocautear o rival, o relógio da transmissão de TV indicava que faltavam oito segundos para o fim do combate quando foi bruscamente retirado da tela. Logo depois, foi possível ouvir o soar do gongo do último round da peleja, encerrando a disputa, supostamente, de forma precoce.

A situação chamou a atenção dos espectadores e gerou repercussão nas redes sociais, com alguns insinuando que o suposto erro teria ocorrido para evitar que o lutador da casa fosse nocauteado. Quem também comentou sobre o assunto foi Joe Rogan, comentarista do UFC, que através de sua conta oficial no ‘Instagram’ foi mais um a questionar o possível equívoco na cronometragem da disputa (veja abaixo ou clique aqui).

“Eles realmente tocaram o sino do último round mais cedo?”, questionou Rogan.

Vale lembrar que a cronometragem das transmissões esportivas em geral, incluindo o boxe e o MMA, não tem caráter oficial, sendo, normalmente, de responsabilidade da emissora que transmite o evento. Portanto, o suposto erro apontado por Joe Rogan, entre outros, apesar de gerar questionamentos na internet, não deve ter nenhuma repercussão real no resultado da disputa.

Com a vitória sobre Anthony Joshua, Oleksandr Usyk manteve sua invencibilidade na carreira e faturou os cinturões da Associação Mundial de Boxe (WBA), Federação Internacional de Boxe (IBF), Organização Mundial de Boxe (WBO) e da Organização Internacional de Boxe (IBO). Uma cláusula contratual garante ao britânico a chance de solicitar uma revanche imediata, mas ainda não há nenhuma confirmação oficial sobre um possível segundo duelo entre eles.

Mais em Boxe