Siga-nos
Louis Grasse/PxImages

UFC

Treinador revela lesão sofrida em camp que pode ter contribuído para fratura de McGregor

A incomum lesão sofrida por Conor McGregor na luta principal do UFC 264, no último sábado (10), que decretou a derrota do irlandês para Dustin Poirier no terceiro capítulo da rivalidade entre eles, pegou a todos de surpresa e deixou algumas perguntas sem resposta, como o que teria motivado a fratura na perna do ex-campeão e em que momento ela teria acontecido. Treinador de longa data do lutador europeu, John Kavanagh, líder da equipe ‘SBG Ireland’ parece ter suas próprias teorias para tais questionamentos.

Em uma sessão de perguntas e respostas na página ‘Wimp 2 Warrior’ do ‘Instagram’ (veja abaixo ou clique aqui), Kavanagh revelou que McGregor sofreu uma lesão no tornozelo esquerdo durante o camp de treinamentos para a peleja contra Poirier, o que poderia ter contribuído para a bizarra lesão sofrida por ele no último sábado. De acordo com o treinador, o atleta chegou a se consultar com um especialista semanas antes do duelo para averiguar o grau da lesão através de exames de imagem e garantir sua participação no UFC 264.

Outro ponto que provocou dúvidas nos fãs com relação à lesão foi em que momento teria ocorrido o trauma responsável pela fratura, já que a mesma só foi percebida quando o irlandês apoiou seu pé esquerdo no chão, sem que houvesse qualquer impacto mais forte. Sobre o tema, Kavanagh diz ter a resposta correta. Após analisar o vídeo, o treinador acredita que a grave contusão foi concretizada já nos segundos finais do primeiro round, quando seu pupilo teve um chute frontal bloqueado pelo cotovelo do rival.

“Um pouco dessa lesão no tornozelo foi agravada durante o camp. Nós fizemos um exame nisso. Isso teve uma pequena participação em enfraquecer (o tornozelo)? Eu não sei. Nós estivemos com um médico duas semanas atrás para fazer um exame no tornozelo. Pode ter tido algo lá dentro. Parece incomum que um homem jovem, saudável, em forma pudesse envolver seu pé em um cotovelo e quebrá-lo sem que tenha existido algo errado antes. Você pode fazer esse jogo de adivinhação o dia inteiro”, declarou Kavanagh, antes de apontar o momento exato em que seu pupilo teria sofrido a contusão durante a luta.

“Ele lança um chute na perna, e depois ele joga um teep (chute frontal do muay thai). É claramente onde a fratura aconteceu. Ele lança um chute agressivo, Dustin se protege com a mão da frente, e o pé se envolve ao redor do cotovelo em uma forma similar que (Anderson) Silva e (Chris) Weidman. Eles envolveram seus pés ao redor da canela, McGregor envolveu sua canela ao redor do cotovelo”, finalizou o treinador.

O aguardado duelo entre Conor McGregor e Dustin Poirier, pelo main event do UFC 264, realizado no último sábado, em Las Vegas (EUA), marcou o terceiro capítulo da trilogia entre os lutadores. Com a vitória, o americano desempatou o placar a seu favor e garantiu a oportunidade de lutar pelo cinturão peso-leve (70 kg) da organização, em disputa contra o atual campeão Charles ‘Do Bronx’, ainda sem previsão de data.

Por sua vez, McGregor terá um longo período de afastamento à sua frente. No último domingo, o ex-campeão peso-pena e peso-leve do Ultimate passou por cirurgia e agora, de acordo com o próprio, terá que ficar seis semanas de muletas, até iniciar uma nova fase de seu processo de recuperação. Apesar da incerteza sobre uma possível data para seu retorno, o irlandês já deixou claro que pretende medir forças novamente contra Poirier, que se tornou seu desafeto pessoal antes do mais recente confronto entre eles.

Mais em UFC