Siga-nos
Natassia del Fischer/PxImages

UFC

Lutador do UFC se revolta e deixa a coletiva de imprensa após nocautear adversário

Tradicionalmente, depois da realização das lutas, os vencedores são entrevistados seja em cima do ‘cage’ ou nas coletivas de imprensa. No entanto, se depender de Alessio Di Chirico o ritual será alterado. O italiano encerrou a sequência de três derrotas ao nocautear Joaquin Buckley, sensação do UFC, no primeiro round, na edição ‘Fight Island 7’, atração que aconteceu no sábado (16), em Abu Dhabi (EAU), e criticou a organização e a imprensa por darem espaço apenas para um lado da história.

Em conversa com os jornalistas pós-evento, Di Chirico lamentou o fato de apenas o vencedor das lutas ter destaque. Bastante sério, o italiano ilustrou seu posicionamento ao citar que é necessário dois atletas para a execução dos combates, sendo assim, não faz sentido ignorar o derrotado. Apesar da importante vitória que conquistou, ‘Manzo’, como o profissional é conhecido, surpreendeu ao se retirar da coletiva em forma de protesto.

“Foi uma boa luta. Pessoal, me desculpa, mas prometi a mim mesmo que não daria essa entrevista. Não gosto que entrevistem apenas o vencedor neste jogo. O esporte é feito por duas pessoas sempre, o vencedor e o perdedor. Então, não gosto disso. Me desculpem, eu respeito o trabalho de vocês, mas quero mandar essa mensagem. Obrigado”, declarou Di Chirico.

A vitória de Alessio Di Chirico, de 31 anos, no UFC Fight Island 7 lhe rendeu um dos bônus de ‘performance da noite’ e correspondeu a um sopro de esperança em sua trajetória na organização. Anteriormente, o lutador foi derrotado por Kevin Holland, Makhmud Muradov, Zak Cummings e um novo revés poderia ter como consequência um possível corte da companhia. O surpreendente triunfo do peso-médio (84 kg) sobre Joaquin Buckley foi o mais importante de sua carreira.

Mais em UFC