Siga-nos
Louis Grasse/PxImages

UFC

Poirier minimiza interesse em nova luta contra McGregor, mas evita fechar as portas

Apesar de ser um top incontestável do peso-leve (70 kg) do UFC, o futuro de Dustin Poirier na divisão é, de certa forma, incerto. Após vencer Conor McGregor na trilogia, realizada em julho, em Las Vegas (EUA), ‘The Diamond’ ficou com o caminho livre para disputar o título da categoria contra o campeão Charles Oliveira, porém surpreendeu e mostrou interesse em outros duelos, como o quarto encontro com ‘Notorious’ e a aguardada luta contra Nate Diaz. Mas, ao que parece, o americano eliminou um dos alvos de sua lista, pelo menos por enquanto.

Normalmente, quando os atletas se enfrentam pela terceira vez em suas carreiras, a rivalidade se encerra, mas no caso de McGregor e Poirier é diferente. Além de envolver dois nomes midiáticos, o término da trilogia foi polêmico. Na ocasião, ‘Notorious’ aplicou um chute que foi defendido por ‘The Diamond’ e, pouco depois, caiu com a perna fraturada. Dessa forma, o árbitro declarou o americano como vencedor por interrupção médica, devido a gravidade da lesão.

Após o anúncio do resultado, McGregor surtou no octógono, atacou o rival, a esposa do mesmo e garantiu que a história entre eles continuaria. Já na coletiva de imprensa, Dana White informou que tal fim não condiz com uma luta tão grandiosa e sinalizou que um novo encontro entre os rivais vai acontecer quando ‘Notorious’ se recuperar. Ciente da repercussão do recente duelo, Poirier concordou que o término do confronto foi decepcionante, mas lembrou que era superior e avisou que seu foco não é ‘Notorious’, e sim nos demais rivais de divisão.

“Na revanche, eu venci por nocaute, na trilogia, a perna dele quebrou, então não é a mesma sensação. É uma vitória no meu cartel e eu estava ganhando, mas a segunda luta foi derradeira. Não sei o que dizer sobre a trilogia especialmente com a imprensa e com os fãs dizendo que não venci. Sinto que ganhei, mas acontece. Que promotor ele é, sentado, com a perna quebrada, armando brigas e falando besteiras. Deixem o cara se recuperar, ficar saudável e voltar”, declarou ‘The Diamond’ ao programa ‘The MMA Hour’, antes de completar.

“Veremos o que acontece, mas sinto que ganhei. Algumas das coisas que ele disse cruzaram os limites, mas este é o jogo da luta e eu não escrevo as regras. Eu simplesmente luto e castigo as pessoas pelo que disseram. Não vou esperar para lutar com ele pela quarta vez. Se fizer sentido, faremos. O caminho que ele terá para recuperar aquela perna será longo, mas quando você está comprometido com algo, você consegue e, talvez, ele consiga. O tempo vai dizer”, concluiu.

Dustin Poirier, de 31 anos e ex-campeão interino do peso-leve do UFC, é um dos lutadores mais condecorados na história da categoria. No MMA desde 2009 e no Ultimate dois anos depois, ‘The Diamond’ superou nomes importantes como Anthony Pettis, Conor McGregor (duas vezes), Dan Hooker, Eddie Alvarez, Jim Miller, Justin Gaethje e Max Holloway (duas vezes). Atualmente, o atleta ocupa a primeira posição no ranking da divisão e possui um cartel composto por 28 vitórias, sendo 21 pela via rápida, seis derrotas e um ‘no contest’.

Mais em UFC