Siga-nos
Natassia del Fischer/PxImages

UFC

Paulo ‘Borrachinha’ elogia Robert Whittaker, mas promete nocaute para evitar guerra

Paulo ‘Borrachinha’ mal saiu de uma luta grandiosa no peso-médio (84 kg) do UFC e já se envolveu em outra. Agora, o brasileiro vai enfrentar Robert Whittaker, ex-campeão da categoria, no dia 17 de abril e a imprensa especializada especula que o vencedor do duelo pode voltar a disputar o título da divisão. Paulo mostrou ter conhecimento da fama do adversário e adiantou que a estratégia é buscar o caminho mais rápido para triunfar.

Em seu próprio canal no ‘YouTube’, ‘Borrachinha’ destacou os pontos fortes de Whittaker, mas, ao mesmo tempo, prometeu que vai nocauteá-lo. Além disso, o brasileiro admitiu que não planeja protagonizar uma guerra com o neozelandês, uma vez que isso pode ser pior para seu desenvolvimento na luta e também para sua carreira.

No passado, ‘The Reaper’ se tornou campeão do peso-médio e defendeu o cinturão, justamente, ao superar Yoel Romero em duas verdadeiras batalhas. Curiosamente, o mineiro e o neozelandês foram nocauteados no segundo round pelo atual número um da divisão. Inclusive, Paulo tinha apostado em Whittaker contra Adesanya e, agora, tratou de comparar a dupla.

“Eu sou um cara confiante. Minha expectativa para a luta é nocaute, finalização, bônus de performance. Vocês vão ver um ‘Borrachinha’ agressivo, como sempre. Tirando a luta contra o Adesanya, que aconteceram várias coisas, será o mesmo Paulo de sempre, que busca o nocaute o tempo todo. Whittaker é um grande atleta, tem muitas qualidades, é um guerreiro, raçudo. Eu espero nocautear, porque ele faz guerras de cinco rounds, três rounds. Espero não ter que fazer uma guerra para não me machucar e lutar mais rápido depois dessa. Espero ser bem preciso para nocautear em menos tempo de luta. Whittaker é mais completo. Não sei se é mais difícil, mas é mais completo que o Adesanya”, analisou ‘Borrachinha’.

Demorou, mas, enfim, a luta entre Paulo ‘Borrachinha’ e Robert Whittaker foi oficializada pelo UFC. Como os lutadores divergiram quanto a data da realização do confronto, quase que o embate deixou de fazer parte dos planos da organização. Com o acerto nas negociações, os integrantes do top-3 do ranking do peso-médio estão, praticamente, a um passo da revanche com Israel Adesanya, número um da divisão.

Mais em UFC