Siga-nos
Louis Grasse/PxImages

UFC

O’Malley admite que pode deixar o UFC e diz que testará o mercado após fim do contrato

Uma das principais apostas de futura estrela do UFC, Sean O’Malley pode não ter tempo suficiente para alcançar tal status dentro da organização. Isto porque, de acordo com o próprio peso-galo (61 kg), sua trajetória dentro do Ultimate pode se encerrar precocemente em breve.

Em entrevista ao site ‘MMA Fighting’, a jovem promessa revelou que pretende testar o mercado e ouvir propostas de outras ligas assim que seu atual contrato com o UFC, que ainda prevê mais algumas lutas, se encerrar. Apesar de ressaltar seu desejo pela permanência no principal evento de MMA do mundo, O’Malley afirmou que sua futura renovação dependerá de quão dispostos a valorizá-lo financeiramente os dirigentes do Ultimate estarão.

“Eu poderia provavelmente renegociar um contrato agora com o UFC, mas aí eu não receberia ofertas de outros lugares. E eu não estou necessariamente pensando em sair, eu não estou necessariamente pensando em ir para outros lugares, mas nós vamos ver quais outras oportunidades se apresentam”, admitiu O’Malley , antes de completar.

“Eu realmente planejo ficar no UFC. Eu acho que pertenço ao UFC. Mas se eu receber ofertas de duas vezes mais dinheiro para ir para outro lugar – eu amo boxe. Vamos ver onde isso vai. Como eu disse, eu amo o UFC, eles têm sido ótimos para mim. E eu acho que depois que esse contrato se encerrar, eu não acho que eles vão ter um problema em me pagar o que eu acho que mereço. Mas talvez nós estejamos em uma mentalidade completamente diferente. Eles podem não achar que eu mereço meio milhão ou qualquer que seja o número. Eu estive em tipo cinco pay-per-views consecutivos”, finalizou o lutador, ressaltando seu potencial de mercado.

Desde que retornou da suspensão por doping, em março de 2020, Sean O’Malley soma quatro vitórias, todas por nocaute, e apenas uma derrota, para Marlon ‘Chito’ Vera. Apesar do histórico recente favorável o peso-galo é constantemente criticado por enfrentar adversários de nível técnico questionável ou em má fase, como foi o caso do brasileiro Thomas Almeida, e, por isso, não integra o ranking da categoria.

Uma das justificativas de O’Malley para evitar oponentes mais credenciados é justamente o salário que recebe atualmente, de acordo com seu contrato vigente. O americano pondera que não há motivos para sair de sua zona de conforto já que a recompensa financeira será a mesma caso enfrente um lutador mais fraco, em teoria.

Mais em UFC