Siga-nos
Louis Grasse/PxImages

UFC

Nick Diaz celebra volta ao UFC, agradece time e promete guerra: “Matar ou morrer”

Demorou, mas, finalmente, Nick Diaz confirmou seu retorno ao MMA. Sem lutar desde 2015, o ‘bad boy’ americano fará seu retorno triunfal ao UFC na edição de número 266, que acontece no dia 25 de setembro, em Las Vegas (EUA), e diante de um velho conhecido. O irmão mais velho de Nate Diaz terá pela frente o também veterano Robbie Lawler e o duelo é aguardado com bastante expectativa por parte dos fãs e pelo próprio.

Em suas redes sociais (veja abaixo ou clique aqui), Nick agradeceu sua equipe por propiciar seu retorno às artes marciais mistas depois de tanto tempo e já tratou de ‘hypar’ a revanche contra Lawler, ao informar que se prepara para uma verdadeira guerra. Vale lembrar que os veteranos se enfrentaram no UFC em 2014. Na ocasião, o ‘bad boy’ venceu ‘Ruthless’ por nocaute no segundo round.

Sete anos depois, Diaz e Lawler, ex-campeão dos meio-médios (77 kg), voltam a se enfrentar para delírio de parte da comunidade do MMA, uma vez que ambos continuam sendo populares. Inclusive, a tendência é que a revanche entre os rivais ganhe destaque e atraia mais os fãs do que propriamente as duas disputas de título (Alexander Volkanovski vs Brian Ortega e Valentina Shevchenko vs Lauren Murphy) que lideram o UFC 266.

“Quero agradecer a minha equipe, Cesar Gracie, Kevin Mubenga e Ross Goodman por resolverem o problema. É hora da luta. #UFC266 #MatarOuMorrer #Guerra”, escreveu o veterano em sua conta oficial no ‘Twitter’.

Apesar de não ter conquistado o cinturão dos meio-médios do UFC, Nick Diaz, de 36 anos, é um dos atletas mais populares do MMA. O ‘bad boy’ se destacou no esporte na base do jiu-jitsu e do boxe. Em sua carreira, o americano disputou o título interino e linear dos meio-médios da organização contra Carlos Condit e Georges St-Pierre, respectivamente, e perdeu para os rivais por decisão unânime.

A última aparição de Nick Diaz no UFC foi diante de Anderson Silva, em 2015, e o duelo terminou em ‘no contest’, já que ambos caíram no doping. O americano possui um cartel profissional de 26 vitórias, dez derrota, dois ‘no contest’ (luta sem resultado) e triunfos marcantes sobre BJ Penn, Frank Shamrock e Robbie Lawler.

Mais em UFC