Siga-nos
Diego Ribas/PxImages

UFC

Michael Chiesa demonstra respeito e rasga elogios a Vicente Luque: “Muito perigoso”

Com quatro vitórias consecutivas desde que migrou para a divisão dos meio-médios (77 kg), Michael Chiesa já ocupa a quinta colocação no ranking da categoria e, neste sábado (7), pode se aproximar ainda mais de uma disputa de título caso supere Vicente Luque, no card principal do UFC 265, em Houston (EUA). Apesar disso, o americano evita projetar o futuro, como forma de respeito ao brasileiro.

Durante o media day do UFC 265, realizado na última quarta-feira (4), Chiesa rasgou elogios a Vicente Luque, a quem classificou como um lutador duplamente perigoso, pela sua capacidade de vencer seus combates tanto com seu poder de nocaute, como através de sua habilidade na luta agarrada. Por isso, o americano afirmou que está focando todas as suas atenções no duelo deste sábado, sem se preocupar com possíveis desdobramentos para o futuro de sua carreira em caso de vitória.

“Toda luta é uma grande oportunidade. Eu tenho um oponente muito duro pela frente. Eu sei que muitas pessoas vão começar a perguntar sobre o que vem na sequência e quem poderia ser o próximo (desafiante) para Kamaru Usman, e eu sei que eu mencionei isso antes dessa luta ser assinada e no começo do camp, mas neste momento, eu não estou olhando tão para frente. Eu não estou olhando para quem poderia ser o próximo ou o que poderia vir depois dessa luta. Eu estou focado apenas em Vicente Luque. Para mim, seria um erro começar a falar sobre o que vem na sequência, eu tenho uma luta dura para c*** na minha frente”, declarou Chiesa, antes de completar.

“18 vitórias pela via rápida em 20 (vitórias no total)? Eu acho que dá para classificar isso como bastante perigoso. E não é só o poder de nocaute, ele tem finalizações também. Nós vimos o que ele fez contra Tyron Woodley, um cara que nunca havia sido finalizado na carreira, e de alguma forma ele pegou seu pescoço. Tyron não tem pescoço, ele é bem atarracado. Ele achou um jeito de chegar ao pescoço dele e isso o torna perigoso. É uma ameaça dupla, ele pode finalizá-lo e pode nocauteá-lo. Isso é o que o torna muito duro, muito perigoso, e ele não tem medo de ir atrás disso”, concluiu o americano.

Vencedor da 15ª edição do reality show ‘The Ultimate Fighter’, Michael Chiesa construiu o início de sua trajetória no UFC na divisão dos leves (70 kg), com resultados mistos. Porém, após subir de categoria, o americano se encontrou e engatou uma sequência de quatro vitórias, que o colocaram em posição de sonhar com um futuro ‘title shot’.

Por sua vez, Vicente Luque chega para o duelo deste sábado embalado por nove vitórias em suas últimas dez apresentações no octógono mais famoso do mundo. Além dos resultados positivos, o brasileiro tem demonstrado toda sua evolução ao vencer pela via rápida oito de suas últimas nove vítimas, entre elas o ex-campeão dos meio-médios Tyron Woodley, em confronto disputado em março deste ano.

Mais em UFC