Siga-nos
Dan Wainer/PxImages

UFC

Lutador acusa TJ Dillashaw de enviar espiões para camp de Cory Sandhagen

Após TJ Dillashaw se lesionar e sair da luta contra Cory Sandhagen, em maio, o UFC remarcou o combate para o dia 24 de julho, ainda sem local definido. Como o duelo entre os atletas é importante para o peso-galo (61 kg), a imprensa especializada especula que o vencedor pode se tornar o desafiante da categoria, mas um novo fator coloca drama na história.

Em entrevista ao canal do ‘YouTube’ ‘James Lynch’, Justin Wetzell, parceiro de treino de Sandhagen na ‘Elevation Fight Team’. afirmou que Dillashaw enviou espiões para o camp do adversário. Vale lembrar que os profissionais já trabalharam juntos, uma vez que o ex-campeão do peso-galo integrou a equipe no período entre 2015 e 2017.

“Sim, ele teve alguns alunos de Ludwig fazendo parte do nosso sparring de sexta-feira. Eu não estava lá naquele dia, mas ouvi sobre isso de outras pessoas. Quando Sandhagen começou a treinar, eles sacaram seus telefones e começaram a gravar. Mais tarde, no Instagram, eles postaram besteiras se gabando, dizendo que tinham tudo registrado. Foi um pouco surpreendente, mas é o que é. Não acho que isso vá ajudar”, declarou Wetzell.

Após testar positivo para EPO, substância proibida, em 2019, TJ Dillashaw cumpriu a suspensão de dois anos aplicada pela USADA e se tornou alvo dos principais nomes do peso-galo do UFC. Além de Cory Sandhagen, o ex-campeão da categoria foi desafiado por Cody Grabrandt, José Aldo, Pedro Munhoz, entre outros atletas. Apesar de expressar o interesse em se tornar o número um da divisão pela terceira vez na carreira, ‘Viper’ também faz questão de reforçar que busca um acerto de contas com Henry Cejudo, atualmente aposentado.

Mais em UFC