Siga-nos
Louis Grasse/PxImages

UFC

Jon Jones critica e ofende ex-treinador após ser afastado de equipe: “Bastardo miserável”

No passado, Jon Jones tinha um bom relacionamento com Mike Winkeljohn, mas, após a prisão do lutador em setembro, em Las Vegas (EUA), o clima na renomada academia ‘Jackson Wink MMA’ ficou insustentável. Com mais uma polêmica com a lei no currículo do atleta, o treinador optou por afastá-lo da equipe que integrou durante anos. Anteriormente, o ex-campeão dos meio-pesados (93 kg) do UFC lamentou a decisão de seu antigo mentor e até pareceu ter compreendido a posição, mas, agora, mudou de postura e não lhe perdoou.

Na última quarta-feira (1º), Jones utilizou sua conta oficial no ‘Twitter’ para atacar e ofender Winkeljohn. É bem verdade que ‘Bones’, como de costume, apagou as publicações, porém o estrago estava feito. Não satisfeito, o ex-campeão do UFC expôs algumas situações na tentativa de arranhar a imagem do profissional na comunidade do MMA. Vale lembrar que o lutador não foi expulso do vitorioso time pelo ex-treinador e sim afastado. Tanto que o mesmo deixou claro que o atleta seria aceito de volta, caso fizesse mudanças drásticas em sua vida, como largar o álcool.

Contudo, Jones ignorou um possível retorno ao time que o consagrou no MMA, anunciou que vai trabalhar na equipe afiliada de Greg Jackson, com um de seus treinadores do passado, e passou a treinar com Henry Cejudo, também ex-campeão do UFC, na academia ‘Fight Ready’, localizada no Arizona (EUA). Mesmo se preparando para voltar a lutar na organização e estrear no peso-pesado, ‘Bones’ não esqueceu das críticas que Winkeljohn fez ao seu respeito e respondeu de forma agressiva.

“O treinador Winkeljohn aparece em rede nacional e diz ao mundo que quer o melhor para mim, mas, nos bastidores, assedia os outros treinadores por continuarem a trabalhar comigo. Que bastardo miserável! Esse cara de alguma forma encontrou uma maneira de controlar cada um dos lutadores originais de Greg Jackson. Não consigo pensar em um veterano de Jackson que ainda fala com esse idiota. Não saí do time porque não aguentei um castigo. Saí da academia porque não estava mais treinando com Winkeljohn de qualquer maneira. Este homem não ensinou aos alunos uma nova técnica desde que o conheci. Que tipo de amigo aparece em rede nacional e vai ao ar lavar a roupa suja de seus ‘irmãos’. Essa foi sua oportunidade de ter uma posição moral elevada sobre alguém que confia nele”, escreveu Jones, antes de completar.

“Ele não deu a mínima para o que realmente aconteceu naquela noite. Ele faz qualquer coisa por alguma publicidade. Se eu fosse um monstro, ele não estaria ainda tentando lucrar com o fato de eu ser um ex-aluno lá. Há um pôster de Jon Jones em quase todas as paredes daquele prédio. Winkeljohn me suspender da equipe não mudou absolutamente nada para mim. Ainda estou trabalhando exatamente com os mesmos treinadores e com o mesmo cronograma que tivemos nos últimos dois anos. Só não vá à televisão e finja dar a mínima para alguém que deu tanto dinheiro para você ao longo dos anos, tantos campeonatos mundiais e, em seguida, a portas fechadas, secretamente, tenta esmagá-lo. Foi um verdadeiro movimento idiota de Mike. Nós, literalmente, tivemos um estuprador condenado treinando na equipe por anos e agora, de repente, ele prega moral. Cai fora”, concluiu.

Apesar de ser considerado um dos melhores lutadores de MMA de todos os tempos por parte dos fãs, Jon Jones, de 34 anos, vive momento delicado no UFC e seu futuro na organização é incerto. Após anunciar que subiria para o peso-pesado, ‘Bones’ focou em sua preparação e, visivelmente, seu corpo sofreu mudanças. Dessa forma, o retorno do atleta aos meio-pesados, categoria que dominou, é inviável.

Com esse cenário, para permanecer na atual divisão e enfrentar Francis Ngannou ou Ciryl Gane pelo título, o americano terá que aceitar o valor que Dana White está disposto a pagar ou convencer o cartola a valorizar seu passe, algo que parece improvável.

Mais em UFC