Siga-nos
Natassia del Fischer/PxImages

UFC

Empresário revela que revanche entre Whittaker e Adesanya deve ser adiada para 2022

Planejada pelo UFC desde a última defesa de título de Israel Adesanya, em junho deste ano, a revanche entre o nigeriano e Robert Whittaker deve demorar mais do que o esperado para ser promovida. Sem ter sido confirmada oficialmente pela liga, a disputa, válida pelo cinturão peso-médio (84 kg), era especulada como uma das atrações principais da edição 268, que acontece em novembro e tem como sede provável a cidade de Nova York (EUA). Mas, ao que parece, os planos da organização foram por água abaixo e o segundo confronto entre os rivais só deve ocorrer em 2022.

Pelo menos é o que revelou Titus Day, empresário de Whittaker, em entrevista ao ‘Daily Telegraph’. De acordo com o profissional, uma norma relacionada às restrições de viagem na Nova Zelândia, em função da pandemia de COVID-19, impediria o retorno imediato do campeão Israel Adesanya ao país da Oceania, onde reside e treina, caso a disputa contra o australiano fosse realmente confirmada para o UFC 268, em novembro. Por isso, o empresário prevê que a aguardada revanche entre os pesos-médios seja adiada para o começo do próximo ano.

“Rob (Whittaker) foi informado que ele lutaria no Madison Square Garden. Mas tiveram alguns problemas desde então e não vai poder acontecer. Aparentemente, Adesanya poderia entrar na América para a luta, mas ele não seria capaz de voltar para a Nova Zelândia imediatamente depois (devido às restrições de viagem)”, contou o empresário do ex-campeão dos médios.

“Então, à medida que nós sabemos que a luta vai acontecer, agora se torna uma questão de quando. Infelizmente, considerando tudo que tem acontecido com a COVID na Austrália e na Nova Zelândia no momento, (a luta) talvez não aconteça até o começo do ano que vem”, concluiu Titus Day.

Robert Whittaker e Israel Adesanya se enfrentaram pela primeira vez em outubro de 2019, quando o primeiro ainda reinava soberano na divisão dos pesos-médios do UFC. O confronto foi disputado na Austrália, casa do então campeão, e teve como resultado final a vitória do nigeriano, que desde então, já defendeu o cinturão de forma bem-sucedida em três oportunidades, mantendo sua invencibilidade na categoria.

Por sua vez, Whittaker, após ser destronado por Adesanya, precisou vencer três confrontos na sequência – contra Darren Till, Jared Cannonier e Kelvin Gastelum, respectivamente – para pleitear uma revanche contra o nigeriano, que, por enquanto, segue apenas no campo das especulações.

 

Mais em UFC