Siga-nos
Louis Grasse/PxImages

UFC

‘Durinho’ revela torcida para Chimaev seguir nos meio-médios e critica rival por polêmicas

Gilbert Burns foi uma das vítimas de Khamzat Chimaev no UFC, mas, ao contrário dos demais oponentes do russo, levou o prodígio do MMA ao limite no octógono. No duelo realizado pelos meio-médios (77 kg), em abril, em Las Vegas (EUA), ‘Durinho’, mesmo derrotado, saiu com crédito por ter conseguido abalar o rival na trocação. Como esteve perto de vencer o temido lutador de origem chechena, o brasileiro não desiste de enfrentá-lo e observa atentamente as movimentações do algoz.

Chimaev estava programado para enfrentar Nate Diaz em seu primeiro ‘main event’, no UFC 279, em setembro, mas o que poderia ser sua consagração virou um fiasco. Khamzat protagonizou uma briga generalizada com o veterano e Kevin Holland, que resultou no cancelamento da coletiva de imprensa pré-show, não bateu o peso e obrigou a empresa a modificar os principais combates do card em cima da hora.

É bem verdade que o russo passou com facilidade por Holland, que foi escalado como seu novo oponente, mas o estrago estava feito. Em entrevista ao site MMA Junkie, ‘Durinho’ culpou ‘Borz’ e sua equipe pelo ocorrido. Veterano do esporte, o brasileiro aconselha o atleta a avaliar o que acontece com ele mesmo, ao seu redor e a filtrar suas companhias.

“Os fãs podem gostar de todo o drama, dele não bater o peso, cancelar a coletiva de imprensa. É difícil se sentir mal por esse cara que está cometendo muitos erros no início de sua carreira. Um dos melhores conselhos que recebi é ter caras que te dão conselhos. Ele precisa desse tipo de caras, não apenas um bando de lutadores malucos que vão ao seu ego e o fazem ficar insano. Ele ainda é muito jovem e espero que mude. Khabib disse que ele precisa de mais muçulmanos, traduzindo, que ele precisa de caras bons ao seu redor para ajudá-lo a tomar decisões. Acho que os caras que ele tem por perto não o ajudam a tomar boas decisões”, declarou o ex-desafiante ao título do UFC.

Como não bateu o peso para atuar nos meio-médios, Chimaev agora vê seu futuro no UFC como incerto. O atleta ainda não sabe se vai permanecer no atual peso ou se vai subir para os médios (84 kg). Dana White aconselhou o lutador a mudar de divisão para performar melhor e com mais saúde. Contudo, se depender de ‘Durinho’, Khamzat vai ficar na categoria.

O brasileiro não esconde que deseja acertar as contas com o carrasco em uma possível revanche, já que ambos possuem destaque até 77 kg. Além disso, essa foi a primeira vez que o russo falhou na balança pela empresa, sendo assim, o veterano indica que o rival pode aprender com o erro e se tornar um profissional de verdade.

“Espero que sim. Sei que muitos caras estavam comemorando que ele estava subindo. Eu quero que ele fique nos meio-médios. Acho que ele pode ficar, só tem que ser disciplinado, mas não é só disciplina. Se você assina um contrato e coloca seu nome nele, você assina e tem que corresponder. Você tem que ser um homem. Acho que ele é muito jovem, tem muito hype. Perdi lutas porque tive um corte de peso muito ruim, mas mesmo assim bati o peso. Ele só tem que ser homem. Certifique-se de que ele tenha pessoas que vão lhe dizer a verdade e ajudá-lo a ser o melhor que pode ser e honrar o contrato quando ele assinar”, concluiu.

Gilbert Burns, de 36 anos, é um dos principais lutadores brasileiros em atividade no MMA. ‘Durinho’ iniciou sua caminhada no esporte em 2012 e estreou no UFC em 2014. Pela organização, o niteroiense disputou 18 lutas, venceu 13 e perdeu cinco vezes. Número quatro no ranking dos meio-médios, o atleta chegou a disputar o cinturão da categoria em 2021. Seus principais triunfos foram sobre Demian Maia, Gunnar Nelson, Stephen Thompson e Tyron Woodley.

Mais em UFC