Siga-nos
Dan Wainer/PxImages

UFC

Dillashaw se proclama campeão dos galos do UFC e abre as portas para luta com Aldo

Sem lutar há dois anos, TJ Dillashaw fez seu retorno ao UFC em julho e surpreendeu. Na ocasião, em Las Vegas (EUA), ‘Viper’ ignorou o status de azarão nas casas de apostas e superou Cory Sandhagen na decisão dividida dos juízes. Como não poderia ser diferente a vitória sobre um dos principais nomes do peso-galo (61 kg) da atualidade deu confiança ao ex-campeão da categoria, que aproveitou para provocar os demais concorrentes.

Atualmente, Aljamain Sterling é dono do cinturão linear do peso-galo, mas, como está lesionado, não poderá atuar no UFC 267, na revanche contra Petr Yan. Sendo assim, no dia 30 de outubro, em Abu Dhabi (EAU), o russo vai encarar Sandhagen pelo título interino. No entanto, Dillashaw fez pouco caso do trio. Ao participar do programa ‘The MMA Hour’, o ex-campeão da categoria afirmou que continua sendo o melhor lutador dela.

Dillashaw justificou sua opinião ao lembrar que deixou de ser o número um do peso-galo não porque perdeu para um desafiante e sim pela punição pelo uso de substância proibida em sua tentativa de se tornar campeão do peso-mosca (57 kg) do UFC, em 2019. Na ocasião, ‘Viper’ enfrentou Henry Cejudo, foi nocauteado em 32 segundos, testou positivo para o produto ‘EPO’ e recebeu uma suspensão de dois anos aplicada pela USADA. Sendo assim, o atleta abriu mão do cinturão. Como já alcançou o lugar mais alto da divisão em duas oportunidades, o veterano garantiu que fará história ao ser coroado pela terceira vez. Em boa fase na companhia, o americano sinalizou que um possível duelo com José Aldo o atrai e enalteceu a lenda do MMA.

“Não perdi meu cinturão devido a uma perda. Perdi o cinturão por causa da decisão que tomei e eles tiveram que liberá-lo. Quando esses lutadores estão falando sobre o cinturão, estão se sentindo como se fossem verdadeiros campeões. Mesmo que Sandhagen vença Yan. Yan nunca foi o verdadeiro campeão. Ele nunca venceu o campeão dos galos para realmente se tornar um campeão. Portanto, nunca houve um verdadeiro campeão linear e agora eles estão lutando por um cinturão interino”, decretou o americano, antes de completar.

“Já provei meu valor. Voltei depois de dois anos, lutei contra o desafiante número um e essa luta pelo título é minha quando eu voltar. Pelo que me disseram, vou lutar pelo cinturão a seguir. Não importa com quem esse cinturão estará. É aí que minha mentalidade está agora, mas também tem Aldo. Para mim, ele é uma lenda de todos os tempos. É difícil não pensar em lutar se essa luta for oferecida, mas eu vou lutar pelo cinturão a seguir, foi o que me disseram”, concluiu.

TJ Dillashaw, de 35 anos, é um dos lutadores mais condecorados da história do peso-galo. O americano foi campeão da categoria duas vezes pelo UFC, em 2014 e 2017. Desde 2011 na organização, o atleta disputou 17 lutas, venceu 13, sendo sete por nocaute, e perdeu quatro vezes. Seus triunfos de maior destaque foram diante de Cody Garbrandt (duas vezes), Cory Sandhagen, John Lineker, Raphael Assunção e Renan ‘Barão’ (duas vezes). Atualmente, ‘Viper’ se encontra na segunda posição no ranking da divisão.

Mais em UFC