Siga-nos
Divulgação/PFL

UFC

Dana se mostra incerto quanto a contratação de bicampeã olímpica de judô pelo UFC

Amanda Nunes não é a única campeã dominante no MMA. De fato, a brasileira é soberana no peso-galo (61 kg) e no peso-pena (66 kg) do UFC, mas Kayla Harrison também lidera o peso-leve (70 kg) do PFL com maestria. Tanto que a imprensa especializada, constantemente, especula a bicampeã olímpica de judô, vencedora do último GP da categoria realizado pela organização, como possível adversária da ‘Leoa’ no futuro. Apesar do interesse de parte dos fãs no choque entre as atletas, Dana White tratou de amenizar os rumores.

Em entrevista à rede de TV canadense ‘TSN’, Dana não se mostrou impressionado com as atuações de Kayla no MMA e foi reticente quanto a contratação da americana pelo UFC. Como de costume, o cartola abriu as portas de sua organização para receber uma atleta tão experiente e qualificada nos esportes de combate quanto Kayla, mas, ao mesmo tempo, questionou se a lutadora está pronta para lidar com Amanda Nunes e demais desafios.

Em sua última aparição no PFL, realizada na última quinta-feira (6), em New Jersey (EUA), Kayla nocauteou Mariana Morais no primeiro round e, após a vitória, informou que seu objetivo no MMA é alcançar o posto de melhor lutadora de todos os tempos. No entanto, Dana ressaltou que a bicampeã olímpica de judô poderia encontrar dificuldades para manter sua invencibilidade no esporte ao integrar o UFC.

“Não sei se ela está pronta. Estou sempre procurando as melhores pessoas possíveis para entrar e lutar. Não sei se o pessoal dela acha que ela já está pronta. É um outro nível quando você chega aqui. Holm, Germaine, Ladd, Pena, a lista é infinita. É muito mais difícil quando você vem para o UFC. Não sei se eles acham que ela está pronta, mas vamos descobrir”, decretou o líder do Ultimate.

Kayla Harrison é, ao lado de Clarissa Shields e Cris ‘Cyborg’, a atleta que parte dos fãs aponta com a capacidade de dar uma luta de verdade para Amanda Nunes. No caso da estrela do PFL, seu alto nível no judô e o fato de atuar em uma categoria mais pesada que a brasileira são pontos positivos. A expectativa da comunidade do MMA é de que a temporada 2021 da organização possa preparar a lutadora para alçar voos maiores no esporte.

Mais em UFC