Siga-nos
Rigel Salazar/PxImages

UFC

Covington apoia McGregor e aposta em retorno triunfal do irlandês no UFC

Às vezes, o MMA brinda seus fãs com acontecimentos surpreendentes e um deles é a relação entre Colby Covington e Conor McGregor. Atualmente, os lutadores são dois dos principais entusiastas do ‘trash talk’ no UFC e utilizam tal artificio de forma criativa e pesada. Dessa forma, parte dos fãs e da imprensa especializada poderia esperar uma possível discussão entre os tops do UFC, mas o que aconteceu foi, justamente, o contrário.

Após McGregor sofrer um novo nocaute para Dustin Poirier e se lesionar no UFC 264, evento que aconteceu no último sábado (10), em Las Vegas (EUA), Covington, ao contrário de parte dos fãs, integrantes do peso-leve (70 kg), rivais e haters do irlandês não tripudiou em cima do mesmo.

Em entrevista ao canal do ‘YouTube ‘James Lynch’, o ex-campeão interino dos meio-médios (77 kg) defendeu ‘Notorious’ das criticas por conta de seu comportamento e performance no UFC 264. Assim como Ronda Rousey, que prestou solidariedade a McGregor, Covington lamentou a derrota e a lesão sofrida pelo astro do MMA, mas apostou que o ele não vai se aposentar e conseguirá se reerguer, motivado a calar seus detratores.

“Eu sinto que ele vai lutar de novo, porque ele tem muito ego e muito orgulho em jogo. Ele vai querer voltar e provar que os críticos e os que duvidam dele estão errados. Ele vai querer mostrar que pode enfrentar adversidades. Todos nós enfrentamos altos e baixos em nossas vidas, todos nós temos adversidades que temos que lidar. Temos que superar essas situações negativas em nossas vidas. Veremos se ele pode se recuperar disso. Acho que seu orgulho e ego o trarão de volta ao jogo”, apostou o ‘Chaos’.

Mesmo em má fase, Conor McGregor, de 32 anos, é o principal nome do UFC. Dois anos após sua estreia na organização, o irlandês se transformou em um fenômeno do MMA e conquistou o cinturão do peso-pena (66 kg), em 2015, e do peso-leve (70 kg), em 2016. Seus triunfos mais marcantes foram contra Chad Mendes, Donald Cerrone, Dustin Poirier, Eddie Alvarez, José Aldo, Max Holloway e Nate Diaz. Atualmente, o atleta ocupa a sétima posição no ranking dos leves e possui um cartel composto por 22 vitórias, sendo 20 pela via rápida e 19 delas por nocaute, e seis derrotas.

Mais em UFC