Siga-nos
Louis Grasse/PxImages

Notícias

Cormier relembra falhas de Jon Jones em testes antidoping e ataca: “É trapaceiro”

Daniel Cormier é, inegavelmente, um dos melhores lutadores de MMA de todos os tempos e mostra ter pleno conhecimento de sua reputação, porém não se contenta com tal status. Isso porque, de acordo com o próprio ‘DC’, poderia ter um status ainda maior no esporte, mas havia um Jon Jones em seu caminho em 2015 e em 2017, rival que não conseguiu superar até hoje. Tanto que o veterano não esconde a mágoa que possui do mesmo.

Em entrevista ao programa ‘The Pivot’, Cormier se mostrou frustrado por não vencer Jones no octógono e, principalmente, porque o rival caiu no doping no segundo confronto entre eles. Na ocasião, ‘Bones’ nocauteou ‘DC’ com um chute alto, mas, como testou positivo para a substância proibida ‘turinabol’, o resultado virou ‘no contest’. Mesmo assim, o veterano trata o segundo encontro com o desafeto como derrota.

Ainda chateado com o ocorrido, o atual comentarista costuma ressaltar que o afastamento do esporte não foi tão prejudicial para o rival, que voltou à ação em 2018, quanto os combates com o mesmo prejudicaram sua carreira. Inclusive, Cormier afirmou que os polêmicos casos de doping protagonizados por Jones mancharam seu legado e, para piorar, também influenciaram diretamente em sua história no UFC e nas dos demais atletas que enfrentou no período. É bem verdade que, sempre que pode, ‘Bones’ minimiza os episódios, mas Cormier não permite que a comunidade do MMA esqueça tais casos por conta da conduta controversa do desafeto, já que é reincidente.

“Ele me vence e é suspenso pela primeira vez. Da próxima vez, falhou por esteroides. Da próxima vez, esteroides. É como toda vez que a gente luta, você é suspenso, ganha a luta e essa memória não desaparece. Mesmo que eles tenham dito que foi ‘no contest’, me viram perder. É a verdade. Tudo o que ele ganha é tempo. Então, Jones luta comigo em Anaheim, vence, consegue ser campeão por me derrotar, mas depois descobrem que ele testa positivo para esteroides e dizem: ‘Oh, ele está suspenso por 18 meses’. Ele fica fora 18 meses, mas você ainda tem seu dinheiro, você ainda tem apenas 25, 26 anos. Tenho 37, 38 anos. Você tem 27 e tem um ano fora. É horrível, mas é fácil para ele dizer água debaixo da ponte. Para mim, é como, ‘Cara, você fez algumas coisas na minha carreira que nunca me deixaram resolver’. Pude saber através das lutas que talvez esse cara seja melhor do que eu. Mas também sei que, se você não está fazendo as coisas que o motivam, você pode realmente trabalhar no nível que estou trabalhando? Não posso deixá-lo ir. Ele é um trapaceiro”, declarou o veterano.

Daniel Cormier, de 43 anos, marcou época no MMA e se tornou um dos melhores lutadores da história do esporte. O americano iniciou sua trajetória na modalidade em 2009, conquistou o título dos meio-pesados, do peso-pesado do UFC e o GP do peso-pesado do Strikeforce. ‘DC’ encerrou sua carreira com um cartel composto por 22 vitórias, três derrotas e um ‘no contest’ (sem resultado). Seus principais triunfos foram sobre Alexander Gustafsson, Anderson Silva, Anthony Johnson (duas vezes), Dan Henderson, Derrick Lewis, Frank Mir, Josh Barnett e Stipe Miocic.

Jon Jones, de 35 anos, é ex-campeão dos meio-pesados do UFC e é apontado por parte dos fãs como o melhor lutador da história do MMA. Após dominar a categoria, ‘Bones’ decidiu se aventurar no peso-pesado, já que revelou que sempre sonhou em alcançar o lugar mais alto da divisão. Em sua carreira, o americano disputou 28 lutas, venceu 26, perdeu uma e a outra terminou em ‘no contest’ (sem resultado). Seus triunfos de maior importância foram sobre Alexander Gustafsson (duas vezes), Anthony Smith, Chael Sonnen, Daniel Cormier, Dominick Reyes, Glover Teixeira, Lyoto Machida, Maurício Shogun, Quinton ‘Rampage’ Jackson, Rashad Evans, Ryan Bader, Stephan Bonnar, Thiago ‘Marreta’ e Vitor Belfort.

Mais em Notícias