Siga-nos
Leandro Bernardes/PxImages

UFC

Blachowicz prevê vitória por nocaute sobre Israel Adesanya: “Não tenho medo dele”

Um dos confrontos mais aguardados pela comunidade do MMA na temporada 2021 é o embate entre Israel Adesanya e Jan Blachowicz. A superluta entre os campeões será o ‘main event’ do UFC 259, evento que acontece no dia 6 de março, em Las Vegas (EUA), e o polonês, número um dos meio-pesados (93 kg), está confiante, apesar de ser zebra nas casas de apostas.

Em entrevista ao canal do ‘YouTube’ ‘SCMP MMA’, Blachowicz cravou que vai se tornar o primeiro lutador a derrotar Adesanya no MMA e apostou em seu poder de nocaute para definir o combate. O encontro entre os atletas marca a estreia do campeão do peso-médio (84 kg) nos meio-pesados, porém o atual número um da categoria planeja mandar o nigeriano de volta para sua divisão de origem. De acordo com o polonês, as armas para ter sua mão levantada ao final do confronto são a agressividade e não respeitar ‘The Last Stylebender’ no octógono.

“O UFC me oferece a luta e eu só assino o contrato. Não escolho adversários. Esse não é meu trabalho. Tudo que faço é lutar. Nunca fiz isso e não vou fazer agora. Vejo o nocaute no segundo round. Chute alto de esquerda na cabeça. Adesanya é apenas mais um adversário que tenho que vencer. Sei que ele é uma estrela, é um dos melhores lutadores, mas depois penso que bati um campeão, um cara que nunca foi vencido. Hoje, eu sou a estrela e não ele”, disse Blachowicz antes de completar.

“Adesanya é um bom trocador, se movimenta bem e tem seu próprio estilo, mas estarei pronto para tudo. Acho que os lutadores tinham medo dele, mas eu não tenho. Quem assistir essa luta vai descobrir o que tem que ser feito para vencer Adesanya. Acredito no meu estilo, no meu poder e vou vencer”, concluiu.

A superluta entre Israel Adesanya e Jan Blachowicz também representa a primeira defesa de cinturão dos meio-pesados do polonês. No entanto, antes de alcançar a glória de ser campeão do UFC, o europeu demorou para encontrar a regularidade na organização. O atleta foi contratado com certa pompa junto ao KSW, mas não emplacou de início e, por pouco, não foi cortado da companhia. Com o passar do tempo, ‘Prince of Cieszyn’, voltou para sua antiga academia, se reinventou e colheu os frutos dessa mudança.

Mais em UFC