Siga-nos
exclusivo!
Emerson Falcão treinando José Aldo - Acervo pessoal

Entrevistas

Treinador destaca vantagens de José Aldo contra Yan no UFC 251: “É uma boa luta para chutar”

No próximo dia 11 de julho, José Aldo vai ter a oportunidade de escrever novamente seu nome na história do Ultimate. O ex-campeão peso-pena (66 kg) vai encarar Petr Yan pelo cinturão vago do peso-galo (61 kg), no card do UFC 251, que será realizado na ‘Ilha da Luta’, em Abu Dhabi (EUA). Figura presente em todo camp do brasileiro, Emerson Falcão, que é o responsável por afiar a trocação do ‘Campeão do Povo’ na equipe ‘Nova União’, destacou seu otimismo para a apresentação do manauara.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, Emerson adiantou que os fãs podem esperar um Aldo agressivo, explorando a sua principal arma e marca registrada ao longo de sua carreira: os chutes baixos – nas últimas atuações, o brasileiro fez pouco uso dessa especialidade, o que chamou a atenção dos torcedores. De acordo com o treinador da Nova União, o estilo de Yan vai favorecer Aldo a poder soltar seu jogo.

“A gente faz sempre o melhor no camp, mas nem sempre as lutas se desenrolam da maneira como esperamos. Por ser a principal arma dele, muita gente já espera e prepara certas reações, tentando neutralizar. E com isso, o Junior melhorou bem seu boxe e se sentiu a vontade de trabalhar bem o boxe. Como não acho que o Petr vai querer derrubar, acho que será uma boa luta para ele chutar, pela estrutura do Yan também. Estou sentindo que ele vai poder soltar bem seu jogo”, afirmou o treinador.

Outro fator curioso para esse combate é que Aldo e Yan já treinaram juntos na Nova União. O fato aconteceu em 2015, bem antes do russo fazer sua estreia no Ultimate três anos mais tarde. Curiosamente, Falcão aponta para essa peculiaridade como outra vantagem de seu pupilo diante do atleta de 27 anos que está embalado por seis triunfos no octógono mais famoso do mundo e ainda se manter invicto na franquia.

“Conheço bem o jogo dele (Yan), porque já ficou no Brasil em 2015 e puxava o treino dele ao lado do Aldo. Então conhecemos bem seu jogo. Não mudou muito. Claro que ele é perigoso, adquiriu experiência, fez boas lutas, mas não encarou ninguém do calibre do Aldo, não pegou nenhum main event. Só acho que o Junior não pode deixá-lo ditar o ritmo, tem que controlar as ações. O moleque é jovem, está em boa fase e o Junior não pode sair trocando. Vejo vantagem para o Aldo em qualquer área que a luta for, pela experiência de já ter feito muitas lutas de cinco rounds, por cinturão “, afirmou, antes de adiantar qual é o sentimento de José Aldo para mais um duelo valendo título e destacar seu foco na dieta.

“Acho que essa motivação dele é um dos grandes divisores de águas. Depois de tanto tempo, lutando em alto nível, é difícil ficar motivado assim e ele está muito. Está com muita vontade de lutar, está pilhado, seguindo tudo certo. Ele está numa postura na dieta e nos treinos que não tinha antes. Está focado demais no corte de peso, fazendo uma dieta super rigorosa e fazendo tudo 100% para bater esse peso”, completou.

Em dezembro do ano passado, em sua estreia como peso-galo, José Aldo foi superado por Marlon Moraes por pontos em duelo equilibrado e polêmico. Apesar do resultado negativo, o atleta da Nova União foi escalado para lutar pelo título contra Henry Cejudo. Porém, a pandemia do COVID-19 alterou o calendário do UFC e impediu que o duelo fosse realizado, com o brasileiro substituído por Dominick Cruz, em confronto que aconteceu em abril deste ano. No entanto, com a aposentadoria do ‘Triple C’, o cinturão ficou vago e a organização tratou de colocar o manauara novamente na disputa, dessa vez contra Petr Yan.

Mais em Entrevistas