Siga-nos

Vídeos

Urijah Faber descarta duelo com Kron Gracie e mira título: “Não tenho muito tempo”

Urijah Faber já soma 35 vitórias em seu cartel como profissional de MMA – Diego Ribas

Após estrear com vitória no UFC, em fevereiro deste ano, Kron Gracie atraiu a atenção de alguns lutadores na época. E Urijah Faber foi um deles. No entanto, dez meses depois, a opinião do americano mudou. Focado no pelotão de elite da companhia, ‘The California Kid’ admitiu que um confronto diante do brasileiro especialista em jiu-jitsu atualmente não seria mais interessante para seus planos no Ultimate.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag Fight, Faber também comentou sobre o possível imbróglio entre academias que poderia vetar um duelo contra o membro da família Gracie. Ao saber que Urijah teria interesse em enfrentá-lo, Kron se mostrou surpreso já que, segundo ele, sua equipe, ‘Cesar Gracie Fight Team’, e a do veterano americano, ‘Team Alpah Male’, teriam um acordo para seus atletas não se enfrentarem.

O combinado teria sido firmado entre ambas as partes, muito por conta da boa relação entre os irmãos Diaz – Nick e Nate -, destaques da Cesar Gracie Fight Team, com a Team Alpha Male, onde Faber é um dos principais astros e líderes. O americano minimizou o fato de ter cogitado encarar Kron ao elencar que inúmeros lutadores treinam e constroem uma boa relação com sua equipe de MMA.

“Não (seria uma luta interessante para mim) exatamente (Kron Gracie). O negócio é que: para aqueles que me conhecem, eu tenho muita coisa acontecendo ao meu redor. Tenho uma empresa de produção, academias e outros negócios. Eu não sigo as notícias de MMA constantemente, como os fãs e jornalistas. Eu não sei exatamente o que está acontecendo no momento, quem está em qual time, etc etc. Já tivemos vários atletas no nosso camp, como Cody Stamann, que vai lutar com Song Yadong, Scottie Jorgensen, Brian Boles, os irmãos Pettis. Durante os anos a gente recebe vários atletas nos nossos camps. Os irmãos Diaz e eu temos um ótimo relacionamento que mudou um pouco com o passar dos anos. Entendo que talvez haja alguma confusão nessa parte. Eu estava ali para lutar já que houve a oferta, mas fomos para divisões diferentes (eu e Kron Gracie). Os dois estão em caminhos diferentes”, justificou Urijah, que compete nos pesos-galos (61 kg), enquanto o Gracie atua nos pesos-penas (66 kg).

Se um confronto diante de Kron já não está mais nos planos de Faber, um objetivo não parece sair da cabeça do lutador. Mesmo aos 40 anos, o americano ressaltou que seu principal objetivo é conquistar o cinturão do Ultimate. Veterano e ‘sem tempo a perder’, The California Kid ressaltou a importância de enfrentar adversários de renome e bem ranqueados que possam alça-lo o mais rápido possível para a lista de possíveis desafiantes ao título dos pesos-galos – que hoje pertence a Henry Cejudo.

Desde que retornou ao esporte, em julho deste ano, Faber venceu Ricky Simon com sobras em sua reestreia na liga. O triunfo já alçou o ex-desafiante ao ranking da categoria – ocupa atualmente a 12ª posição. No entanto, o próximo confronto, diante de Petr Yan, parece ser o verdadeiro ‘teste de fogo’ do veterano. Afinal de contas, o atleta russo vem de oito vitórias consecutivas e figura no top 5 dos pesos-galos atualmente.

“Foi uma ótima negociação. Quero dizer, Sean me perguntou se eu gostaria de lutar contra o Petr, eu disse que sim, mas que gostaria de falar com o Dana primeiro e rever o contrato. A negociação ficou em silêncio por um tempo, falei aqui e ali com Dana, tentei encontrá-lo algumas vezes quando finamente conseguimos nos encontrar. Ele me ofereceu algumas lutas, três ou quatro opções diferentes e eu disse ‘não me importa’. Ele disse: ‘Tem essa opção, ou essas que podem te deixar mais próximo ao cinturão, e tem outras lutas que você pode apenas lutar por lutar’. Eu disse: ‘Bem, eu sempre estive nesse esporte para chegar mais perto do título, então o que vocês quiserem eu aceito’!”, relembrou Faber, antes de destacar que pretende encarar os melhores para se credenciar por uma disputa de cinturão.

“Sim, como eu disse. As pessoas ficam perguntando sobre enfrentar esse cara, lutar com o Aldo, lutar com esse que está chegando, com esse e aquele…. Eu não vou estar nesse esporte por muito tempo, não tenho muito tempo. Tenho 40 anos, já fiz 45 lutas e essa é a de número 46. Estou aqui, você sabe, pegando aquela vontade de estar de volta. Pareceu interessante e divertido, voltei e tive um grande resultado. E agora, ok, um passo mais perto de ter aquele cinturão. E essa é a única razão real pela qual eu voltei a esse esporte. É divertido, sou muito ambicioso quando estou com meu coração e mente focados. Não estou aqui para lutar com a divisão inteira e fazer uma longa caminhada. Estou aqui para ser impactante com minhas decisões e performances, e lutar com os melhores do mundo. E acho que o Petr Yan é definitivamente um dos melhores do mundo. Ele é um striker muito talentoso, ele já mostrou ter um elevado nível em qualquer área, no wrestling, no jiu-jitsu… Já vi algumas de suas lutas onde ele fez grandes performances. É um oponente duro. E uma vitória sobre ele me coloca onde eu quero estar”, completou o americano de 40 anos, em conversa com a Ag Fight.

Petr e Urijah se enfrentam no próximo sábado (14), em Las Vegas (EUA), no UFC 245. O ‘supercard’, um dos mais aguardados da temporada, contará com três disputas de cinturão. Kamaru Usman defende seu reinado nos meio-médios (77 kg) diante de Colby Covington. Max Holloway tenta se consolidar ainda mais entre os pesos-penas (66 kg) contra Alexander Volkanovski. E Amanda Nunes vislumbra se isolar ainda mais como a principal artista marcial de todos os tempos em combate válido pelos pesos-galos contra Germaine De Randamie.

Mais em Vídeos