Siga-nos

Notícias

UFC implementa protocolo de viagens e testes para COVID-19 para edições na ‘Ilha da Luta’

Dana White é o presidente e responsável pelas principais decisões do UFC – Diego Ribas

Prestes a inaugurar a aguardada ‘Ilha da Luta’, com quatro eventos marcados para acontecer durante o mês de julho, o UFC preparou um protocolo específico a ser seguido pelos envolvidos nos confrontos. Além das medidas de segurança já adotadas nas edições realizadas nos Estados Unidos recentemente, em meio à pandemia do novo coronavírus, novas regras e um maior número de testes para COVID-19 serão aplicados aos lutadores e suas respectivas equipes antes, durante e ao final de sua estadia na nova sede de shows do Ultimate, como mostra um documento enviado aos atletas, obtido em primeira mão pela ‘ESPN’ americana.

Localizada em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes Unidos, a ‘Ilha da Luta’ foi a solução encontrada pelo Ultimate para colocar novamente em ação boa parte de seu plantel internacional de atletas, que, em razão da pandemia, tem encontrado dificuldades de viajar e, como no caso dos lutadores vindos do Brasil, entrar nos Estados Unidos, devido às medidas adotadas por governantes para tentar controlar a propagação do COVID-19. Com isso, nos quatro eventos já confirmados para o local, está programada a presença de 26 brasileiros.

O transporte dos atletas e seus treinadores em direção a ‘Ilha da Luta’ será feito através de voos fretados, que sairão de quatro cidades – Las Vegas (EUA), São Paulo (BRA), Londres (ING) e Moscou (RUS) – com destino a Abu Dhabi. Caso não se encontrem em um dos pontos de partida, os indivíduos devem se dirigir a um deles por meio de voo comercial. Se estiver impossibilitado por causa de alguma restrição de viagem, voos especialmente encomendados serão utilizados para transportá-los diretamente ao local do evento.

Os atletas e córners que sairão de Las Vegas precisam chegar na cidade norte-americana com 36 horas de antecedência. Já os que partirão das outras três cidades têm que se apresentar 48 horas antes do embarque para Abu Dhabi. Lutadores e membros da equipe serão testados para COVID-19 entre 24 e 48 horas antes de viajar para a ‘Ilha da Luta’, necessitando, obviamente, de um resultado negativo para serem liberados.

Ao chegar em Abu Dhabi, todos passarão por mais um teste para COVID-19, ainda no aeroporto, sendo transportados em sequência para o hotel, onde devem permanecer em quarentena em seus quartos até a chegada dos resultados, que podem levar até 12 horas para ficarem prontos. Os lutadores e membros de suas equipes ainda serão testados novamente, desta vez em seus quartos, onde mais uma vez ficarão isolados no aguardo dos resultados.

Um teste final para COVID-19 ainda será feito entre 24 e 48 horas antes do evento. E mesmo após o show, atletas e seus treinadores precisarão passar por mais um exame antes de deixar a ilha e retornar para suas casas.

A ‘Ilha da Luta’ tem quatro eventos já confirmados, para os dias 11, 15, 18 e 25 de julho. No primeiro show da leva, denominado UFC 251, três disputas de cinturão prometem movimentar o card. Kamaru Usman encara Gilbert ‘Durinho’, pelo título dos meio-médios (77 kg). Alexander Volkanovski defende sua cinta dos penas (66 kg) diante do ex-campeão Max Holloway. Enquanto José Aldo e Petr Yan duelam pelo cinturão vago dos galos (61 kg).

Mais em Notícias