Siga-nos

Notícias

Gilbert ‘Durinho’ desequilibra e garante vitória do ‘UFC Team’ no Quintet Ultra

Gilbert ‘Durinho’ foi a grande estrela da quarta edição do Quintet Ultra – Diego Ribas

Realizada nesta quinta-feira (12), em Las Vegas (EUA), a quarta edição do Quintet Ultra colocou frente a frente alguns dos maiores nomes da história do MMA em um torneio de submission. Com quatro times com cinco competidores de cada lado, que se enfrentavam um a uma, a regra era simples: sem pontos, uma finalização elimina o perdedor, enquanto o empate elimina ambos. E com esse contexto, o time vencedor foi time UFC, que contou com o talento de GIlbert Durinho como fator decisivo.

Campeão mundial de jiu-jitsu e assíduo competidor de grappling, o brasileiro, que compete como meio-médio (77 kg) no UFC, desequilibrou tanto na primeira fase como na grande final, levando seu time à conquista do evento.

Semifinais

Primeiro duelo da noite, o time UFC levou a melhor sobre os representantes do Pride. Na primeira disputa, Sean O’Malley surpreendeu o ídolo do MMA japonês Takanori Gomi com uma guilhotina em pouco mais de dois minutos de ação. Na sequência, o jovem americano não repetiu o feito e acabou dando os três tapinhas em uma chave de calcanhar aplicada pelo cubano Hector Lombard.

O judoca, na sequência, foi anulado pelo gigante Anthony Johnson, com quem empatou, anotando uma eliminação dupla. Próximos da lista, Gregor Gracie e Clay Guida travaram uma agitada batalha que coroou o brasileiro com um mata-leão. A seguir, diante de Anthony Smith, o membro da tradicional família de jiu-jitsu viu suas tentativas de finalização serem defendidas e deu adeus ao torneio,  juntamente com seu rival.

Desta forma, coube a Gilbert ‘Durinho’, última representante do Team UFC, salvar sua equipe. Agressivo, o campeão mundial de jiu-jitsu finalizou Yves Edwards em pouco mais de três minutos de combate com um estrangulamento. O resultado credenciou o atleta do UFC a encarar o última representante fo Team PRIDE, o lendário Kazushi Sakuraba, que mostrou que ainda tem muito a mostrar.

Apesar de estar sempre atrás nas ações do confronto, o atleta japonês defendeu todas as tentativas de finalização e não se intimidou com o vigor físico do oponente, trocando quedas e tentativas de raspagem ao longo do todo o tempo regulamentar. Ao final da disputa, o empate deixou a disputa entre times rigorosamente igual, e o critério de desempate foi o domínio apresentado na última luta. Ou seja, melhor para Durinho e seus parceiros, que avançaram para a grande final.

Na segunda semifinal, o talento individual de um lutador pesou. Depois do embate de estreia, em que Chad Mendes e Gesias Cavalcante empataram após protagonizarem praticamente uma disputa de wrestling, Jake Shields entrou em ação e desequilibrou para o time do Strikeforce.

Depois de finalizar o agora peso-pesado Mark Munhoz, o americano dominou o confronto contra Cub Swanson, que acabou se machucando (torção no joelho) após pouco mais de cinco minutos de combate. Na disputa seguinte, Glover, meio-pesado (93 kg) do UFC, dominou, mas esbarrou na excelente defesa do pupilo de Cesar Gracie, que com o empate e desclassificação dupla, deixou seu time em situação confortável.

Último da fila, James Krause encarou ‘King Mo’ e, em poucos segundos aproveitou que o rival o ergueu para aplicar uma queda e engatou uma guilhotina. Enquanto balançava para aliviar a pressão, o representante do time Strikeforce pareceu bater, o que obrigou o árbitro a interromper a disputa (diante de intensa reclamação dos presentes).

Por fim, diante de Gilbert Melendez, Krause protagonizou bela luta, mas que terminou empatada e carimbou a vitória do time do Strikeforce, que ainda se deu ao luxo de ver Renato ‘Babalu’ (último integrante da equipe) passar ileso na primeira fase e nem competir.

Jake Shields resistiu aos ataques do brasileiro Glover Teixeira – Diego Ribas


FINAL

A grande final contou com um detalhe importante da regra do evento. Como passou sem competir no primeiro round, Babalu foi obrigado a ser o primeiro representante de seu time. Desta forma, os integrantes do Team UFC escolheram o mais leve Clay Guida para resistir aos ataques do brasileiro e garantir sua desclassificação. Dito e feito, embora o domínio do carioca tenha sido enorme.

No confronto seguinte, ‘King Mo’ e Anthony Johnson travaram uma disputa acirrada em pé, onde nenhum deles quis ceder e cair por baixo. Resultado, novo empate e classificação dupla que deixou o confronto ainda mais interessante.

O terceiro embate foi entre Gilbert Melendez e Sean O’Malley, disputa essa que tecnicamente era desproporcional. Afinal, o experiente faixa-preta de Cesar Gracie sobra em experiência e habilidade diante da jovem revelação do UFC. No entanto, a regra é clara, e sem finalização, mais uma vez os dois competidores foram eliminados.

A quarta disputa mais uma vez contou com rivais de enorme diferença de peso. De um lado Gesias Cavalcante, com cerca de 80 kg, diante de Anthony Smith, atleta próximo dos 100 kg. Como resultado, o domínio territorial (quedas e posicionamento) do americano bateu de frente com a velocidade e disposição do brasileiro, que escapou de uma justa chave de braço. No entanto, o quarto empate levou Gilbert Durinho e Jake Shields para a grande final no tatame.

Melhor competidor desta edição do torneio, o brasileiro dominou por completo o americano com quedas, passagens de guarda e pegadas pelas costas – de onde tentou alguns estrangulamentos. Mesmo assim, o raçudo Shields mais uma vez sobreviveu ao castigo, carregando a decisão para as regras finais. Com uma punição por falta de combatividade aplicada ao americano, o Team UFC se sagrou o grande vencedor da noite.

Team UFC vs Team Pride:
Sean O’Malley (UFC) finalizou Takanori Gomi (PRIDE);
Hector Lombard (PRIDE) finalizou Sean O’Malley (UFC);
Hector Lombard (PRIDE) e Anthony Johson (UFC) empataram;
Gregor Gracie (PRIDE) finalizou Clay Guida (UFC);
Gregor Gracie (PRIDE) e Anthony Smith (UFC) empataram;
Gilbert ‘Durinho’ (UFC) finalizou Yves Edwards (PRIDE);
Gilbert ‘Durinho’ (UFC) e Kazushi Sakuraba (PRIDE) empataram.

Team Strikeforce vs Team WEC:
Chad Mendes (WEC) e Gesias Cavalcante (Strikeforce) empataram;
Jake Shields (Strikeforce) finalizou Mark Munhoz (WEC);
Jake Shields (Strikeforce) venceu Cub Swanson (WEC) por desistência verbal;
Jake Shields (Strikeforce) e Glover Teixeira (WEC) empataram;
James Krause (WEC) finalizou ‘King Mo’ (Strikeforce);
James Krause (WEC) e Gilbert Mendez (Strikeforce) empataram.

Grande final – Team UFC vs Team Strikeforce:
Renato ‘Babalu’ (Strikeforce) e Clay Guida (UFC) empataram;
‘King Mo’ (Strikeforce) e Anthony Johnson (UFC) empataram;

Gilbert Melendez (Strikeforce) e Sean O’Malley (UFC) empataram;
Gesias Cavalcante (Strikeforce) e Anthony Smith (UFC) empataram;
Jake Shields (Strikeforce) e Gilbert ‘Durinho’ empataram;

Superlutas:

Craig Jones finalizou Fredson Paixão;
Danielle Kelly finalizou Cynthia Calvillo;
Gordon Ryan finalizou Aleksei Oleinik.

Mais em Notícias