Siga-nos

Notícias

De Randamie nega arrependimento por perda de título e exalta disputa com Amanda no UFC 245

Germaine De Randamie encara Amanda Nunes no UFC 245 – Diego Ribas

Seis anos depois, Germaine De Randamie reencontra Amanda Nunes no octógono do UFC visando reverter o resultado da primeira luta, desta vez com o cinturão peso-galo (61 kg) em disputa. Neste período, a holandesa viu sua rival conquistar a cinta até 61 kg e do peso-pena (66 kg), título do qual foi a campeã inaugural por alguns meses, antes de ser destituída pelo Ultimate. Apesar disso, a lutadora europeia não se arrepende de sua trajetória nos últimos anos.

Em fevereiro de 2017, Germaine derrotou Holly Holm, se sagrando a primeira campeã peso-pena da história do UFC. Porém, seu título foi retirado pela própria organização alguns meses depois em razão de sua recusa em defendê-lo contra Cris ‘Cyborg’, utilizando como justificativa o fato da brasileira ter sido flagrada anteriormente em exames antidoping. O cinturão, então, passou para as mãos da curitibana em julho do mesmo ano, com uma vitória sobre Tonya Evinger, e permaneceu sob seu poder até dezembro de 2018, quando a baiana Amanda Nunes a nocauteou, se tornando bicampeã do Ultimate.

Bastante criticada à época por fãs e pela mídia por, supostamente, ter fugido de ‘Cyborg’, De Randamie não se arrepende de sua atitude. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight durante o media day do UFC 245, a holandesa afirmou que tudo pelo que passou a levou para uma posição melhor na carreira, já que, segundo ela, Amanda é uma lutadora mais perigosa do que a curitibana.

“Não (me arrependo). Sou uma mulher muito orgulhosa. Tenho muito orgulho e me levanto pelo que eu acredito. E eu estou em uma melhor posição porque eu vou lutar com a melhor da história. Ninguém pode tirar isso de mim. Estou enfrentando a pessoa que a nocauteou. Estou enfrentando uma oponente muito mais perigosa que a Cyborg”, ponderou Germaine.

Apesar de demonstrar tranquilidade com o passado, a holandesa não pensa em um retorno ao peso-pena, nem mesmo por uma chance de ostentar dois cinturões ao mesmo tempo, caso vença Amanda Nunes neste sábado e conquiste o título do peso-galo. De acordo com Germaine, a categoria até 66 kg não possui movimentação de atletas suficiente para lhe atrair, além de relembrar que nunca perdeu sua cinta inaugural da divisão, já que foi destituída pelo Ultimate e não por haver sido superada dentro do octógono.

“Eu honestamente acredito que não tem ação na divisão até 66 kg. Não tem nada que me atraia para a categoria (peso-pena). Eu sou bem leve para a (categoria até) 61 kg, nunca estive tão leve antes de uma luta como estou no momento. Já tive aquele cinturão (peso-pena) e ninguém tirou esse cinturão de mim. Quem tirou o cinturão foi o UFC, ninguém me derrotou por ele”, concluiu.

Desde sua derrota para Amanda Nunes no primeiro confronto entre elas, Germaine De Randamie – atual número um do ranking peso-galo – engatou uma sequência de cinco triunfos consecutivos pelo UFC. Já a brasileira possui nove vitórias seguidas pela organização e sofreu apenas um revés após enfrentar a holandesa em 2013.

Mais em Notícias