Siga-nos
Leandro Bernardes / PxImages

Notícias

BJ Penn sugere asterisco no legado de Khabib por ele não ter lutado nos meio-médios

Frequentemente mencionado entre os principais nomes do peso-leve (70 kg) da história, BJ Penn pôde acompanhar, nos últimos anos, a ascensão de Khabib Nurmagomedov, que se desgarrou do restante dos concorrentes e se consolidou no topo da lista dos melhores lutadores desta divisão em todos os tempos. Porém, o havaiano – ex-campeão do UFC em duas categorias diferentes – possui uma ressalva em relação à carreira do russo, e acredita que a mesma deve ser levada em consideração ao compararem seus legados.

Em publicação compartilhada na sua conta oficial no ‘Instagram’ (veja abaixo ou clique aqui), Penn questionou a aparente falta de interesse do russo em se desafiar na categoria de cima, como forma de ampliar seu legado e provar sua soberania no esporte. Na visão do havaiano, Khabib optou por não desafiar Kamaru Usman – campeão dos meio-médios (77 kg) do UFC durante o reinado de Nurmagomedov no peso-leve – por não confiar que seu jiu-jitsu seria bom o suficiente para salvá-lo em uma situação hipotética de desvantagem contra um adversário maior e mais pesado naturalmente do que ele.

O veterano também aproveitou para recordar que, ao contrário de Nurmagomedov, ele se testou em diversas categorias de peso, chegando a atuar em um combate de peso-aberto, onde enfrentou o brasileiro Lyoto Machida, que à época pesou 102 kg antes do confronto. Penn destacou ainda que a força de seu jiu-jitsu foi justamente o motivo que o fez ter confiança para encarar desafios contra rivais mais pesados, o que o separaria de Khabib neste quesito.

“Já que Khabib tem dito que é o maior peso-leve de todos os tempos e eu sou o número dois, muitas pessoas têm me perguntado por que Khabib não lutou com (Kamaru) Usman pelo cinturão até 77 kg ou competiu pelo cinturão até 77 kg como eu fiz muitas vezes. Na minha humilde opinião é porque ele não é eficiente e confiante no jiu-jitsu. Eu acredito que a razão por trás de Khabib não lutar com Usman é porque ele não conhece o jiu-jitsu como eu conhecia e ele não fica confortável lutando com as costas no chão contra alguém que é maior e mais forte do que ele, como eu fiz muitas vezes na minha carreira”, analisou BJ, antes de continuar.

“Eu lutei até 77 (kg), até 84 (kg) e peso-pesado e toda luta que eu tive que lutar com as costas no chão eu sobrevivi e dei a volta por cima para lutar mais duro se eu tivesse que conquistar a vitória. É por causa da minha experiência como faixa-preta de jiu-jitsu e por lutar no meu peso e no absoluto por anos que sempre me prepararam para isso. Gracie jiu-jitsu e jiu-jitsu brasileiro sozinhos não são o suficiente para ser um campeão do UFC, mas para escolher um sistema, o BJJ ainda é o maior sistema de defesa pessoal no mundo, especialmente para o cara pequeno encarar o cara grande. Khabib diz que jiu-jitsu é fácil e ele é o melhor grappler da história, mas ele não enfrentou oponentes maiores em classes de peso mais altas porque o estilo dele não está preparado para isso. E é por isso que o jiu-jitsu foi criado. Para o cara pequeno se defender do cara grande. Isso é arte marcial, isso é defesa pessoal”, concluiu.

Ex-campeão dos leves e dos meio-médios do UFC, BJ Penn foi introduzido no Hall da Fama da entidade em 2015. O havaiano viveu o auge da carreira durante a primeira década do século XXI, mas nos últimos anos acumulou resultados negativos e polêmicas fora do octógono. Por sua vez, Khabib Nurmagomedov se aposentou do MMA em 2020, após dominar a divisão até 70 kg do Ultimate de forma nunca antes vista. O russo deixou o esporte com o irretocável cartel de 29 vitórias e nenhuma derrota.

 

Ver essa foto no Instagram

 

Uma publicação compartilhada por BJ Penn (@bjpenn)

Mais em Notícias