Siga-nos
Amanda Westcott/Triller Fight Club

Notícias

Anderson Silva recusa representar bandeira do MMA em luta de boxe contra Jake Paul

Apesar de ser um ícone do MMA, Anderson Silva parece querer desvencilhar sua imagem da modalidade. Após ser liberado pelo UFC em 2020, o ex-campeão da companhia passou a se dedicar ao boxe e, em sua visão, se transformou em um lutador da nobre arte. Inclusive, é com essa mentalidade que ‘Spider’ vai para seu próximo compromisso no ringue, contra Jake Paul, no dia 29 de outubro, no Arizona (EUA),

Em entrevista ao site ‘MMA Fighting’, Anderson nega com todas as letras que representa as artes marciais mistas diante de Jake. Parte dos fãs dos esportes de combate, tem dificuldade de aceitar a presença do youtuber em lutas e por isso torce para que atletas experientes o vençam e acabem com sua aventura nos ringues. Anteriormente, os wrestlers Ben Askren e Tyron Woodley personificaram a modalidade contra o astro da internet na nobre arte e levaram a pior, mas o brasileiro não se vê com tal responsabilidade. Para ‘Spider’, esta definição é errada e injusta.

“Todos pensam que estou nessa luta para representar a comunidade do MMA. Não, para mim, é mais do que isso. Acho que preciso mostrar meu respeito pela comunidade do boxe. Claro, muitas pessoas estão falando, ‘Você representa o MMA. Você precisa vencer esse cara’. Eu digo, ‘Pessoal, ouçam, uma luta é uma luta’. Não vou colocar isso na cabeça, porque todos têm sua própria jornada e minha jornada dentro do MMA parou quando parei de lutar no UFC. Não preciso mais representar a comunidade do MMA, porque as pessoas sabem como trabalhei nela. Agora, preciso provar meu respeito pela comunidade do boxe e é isso que tento fazer”, declarou o ex-campeão do UFC.

Anderson Silva, de 47 anos, é um dos lutadores mais celebrados dos esportes de combate. Em seu auge no MMA, o brasileiro marcou época no UFC. ‘Spider’ conquistou o título do peso-médio (84 kg) logo após sua estreia na companhia e o defendeu dez vezes. Não à toa, o veterano é considerado por parte da comunidade das artes marciais mistas o maior nome da história da modalidade. Seus principais triunfos foram diante de Chael Sonnen (duas vezes), Dan Henderson, Demian Maia, Derek Brunson, Forrest Griffin, Nate Marquardt, Rich Franklin (duas vezes), Stephan Bonnar, Thales Leites, Vitor Belfort e Yushin Okami.

Mais em Notícias