Siga-nos

Notícias

Agendado contra estreante, ‘Durinho’ revela atletas que negaram enfrentá-lo

Estar fora do ranking dos 15 melhores atletas de cada categoria não significa, nem de longe, ser um adversário fácil. Por isso, muitas vezes, os ranqueados dão um jeitinho de evitar lutas contra oponentes que estão fora da listagem – e que, desta forma, podem tomar seus lugares. Gilbert ‘Durinho’ sofreu com esta prática. O peso-leve (70 kg), que mede forças contra Mike Davis no UFC Miami, neste sábado (20) contou à Ag. Fight que cinco lutadores negaram enfrentá-lo.

De acordo com o especialista em jiu-jitsu, o Ultimate resolveu premiá-lo pela vitória dominante contra Olivier Aubin-Mercier e buscou um adversário que o colocasse no top 15 em caso de novo triunfo. Mas, segundo o lutador fluminense, Charles ‘Do Bronx’, Gregor Gillespie, Alexander Hernandez, Drakkar Klose e Beneil Dariush – apenas estes dois últimos fora do ranking – preferiram não encará-lo.

“O Sean Shelby falou, depois da minha última luta, que tinha gostado muito da minha performance, e que iria me dar um oponente do ranking ou que me colocaria no ranking. Essas foram as palavras dele. E ele me ofereceu para vários caras. Ele começou com o Drakkar Klose, mas o Klose, tipo, eu respeito mesmo: ele estava indo casar. Ele estava com casamento marcado. Depois dele foi o Charles do Bronx, e o Charles negou a luta, o Alexander Hernandez também negou a luta… O Gregor Gillespie estava em uma troca de contrato, em uma negociação, é outro que eu respeito também, porque sei que era uma troca de contrato, é uma coisa que não… Mas eu sei que o Charles negou a luta, o Alexander Hernandez também”, disse.

“O Beneil Dariush foi outro nome que me falaram, mas ele tinha acabado de lutar, estava meio quebrado da luta ainda e não aceitou, mas eu respeito também, porque o cara acabou de lutar, às vezes está meio machucado. Mas eles me deram vários nomes que fazem sentido, de caras ranqueados. Mas acabou que não fechou. E eu queria lutar aqui na Flórida, da outra vez já não lutei, quero lutar aqui independente de contra quem for. Aí eles arrumaram um estreante, machucou, eles arrumaram outro estreante”, completou, referindo-se a Eric Wisely e Mike Davis. ‘Beast Boy’ aceitou o confronto com dez dias de antecedência.

‘Durinho’ afirmou também que não deseja se prender a adversários ranqueados para construir sua jornada rumo ao título. Para o lutador de 32 anos, enquanto ele continuar sendo preterido pelos atletas do top-15, o objetivo será construir uma sequência de triunfos que o coloque na listagem.

“Na verdade, o ranking é um monte de cara com número, que na minha cabeça não faz muito sentido. O único número que importa de verdade é o 1, é o campeão. O resto é tudo número: 14, 15… Os caras ganham número, aí ficam se defendendo. Todos os sites aqui dos Estados Unidos me colocam como top 20. Então eu sei que eu sou top 20. Mas se nenhum do top 15 quer lutar comigo, então eu tenho que ganhar de quem colocarem na minha frente: eu quero colocar cinco, seis, dez vitórias seguidas, que não vai ter como não entrar no ranking. É isso que está na minha cabeça”, destacou à Ag. Fight.

Gilbert perdeu apenas três lutas desde que entrou no UFC, em 2014. Desde que acabou nocauteado por Dan Hooker, em julho de 2018, tem buscado conter o ímpeto de encarar a trocação franca, uma vez que, embora tenha potência em seus golpes, é oriundo dos combates de solo. Sua luta é a quarta do UFC Miami, que terá transmissão do canal ‘Combate’ para o Brasil, a partir das 18h30 de Brasília.

Mais em Notícias