Siga-nos

GALERIAS

Saldo positivo! Confira a lista dos principais destaques brasileiros no MMA em 2021

O ano está próximo do fim e, com isso, termina uma das temporadas de maior destaque brasileiro nos principais eventos de MMA nos últimos tempos. Com uma geração que parece ter chegado para ficar e o ressurgimento de grandes ícones do esporte, o Brasil esteve muito bem representado mundo afora. Nesta galeria, a Ag Fight celebra alguns dos atletas tupiniquins que brilharam em 2021 - Louis Grasse/PxImages
Coroado como novo campeão peso-leve do UFC, em maio deste ano, Charles 'Do Bronx' sem sombra de dúvidas foi o principal destaque do 'esquadrão brasileiro' em 2021. Vivendo a melhor fase da carreira, o atleta da 'Chute Boxe Diego Lima' deixou para trás a desconfiança, especialmente dos fãs e da imprensa estrangeira, e se consolidou - com vitórias sobre Michael Chandler e Dustin Poirier - como o novo soberano da divisão considerada por muitos como a mais difícil do MMA - Leandro Bernardes/PxImages
Outro brasileiro que se consagrou no UFC em 2021 foi Glover Teixeira. Embalado por uma sequência de vitórias que o fez ressurgir no topo da divisão dos meio-pesados, o veterano de 42 anos soube esperar pacientemente sua chance e, em outubro deste ano, finalizou o polonês Jan Blachowicz, para se tornar o segundo lutador mais velho a conquistar um cinturão do Ultimate, atrás somente da lenda Randy Couture - Diego Ribas/PxImages
Se Charles e Glover sentiram pela primeira vez o gosto de conquistar um título de um grande evento, Cris 'Cyborg' manteve sua rotina de domínio sobre as adversárias - presente na maior parte de sua carreira - em 2021. A curitibana, campeã peso-pena do Bellator, defendeu seu cinturão com sucesso em duas oportunidades nesta temporada, mostrando mais uma vez porque é considerada uma das maiores lutadoras de todos os tempos - Divulgação/Bellator
O ano de 2021 também vai ficar marcado pela volta do 'Campeão do Povo' aos bons momentos. Com duas vitórias sólidas e convincentes, sobre Pedro Munhoz e Rob Font, José Aldo mostrou que ainda tem 'lenha para queimar' e voltou a se aproximar de uma nova disputa pelo cinturão peso-galo do UFC - Louis Grasse/PxImages
Quem também deu a volta por cima em 2021 foi Antônio 'Cara-de-Sapato'. Demitido do UFC em fevereiro deste ano, após sofrer sua terceira derrota seguida na organização um mês antes, o faixa-preta assinou com o PFL e, com três vitórias e um 'no contest', conquistou o título do torneio anual dos pesos-meio-pesados da liga, levando para casa também o prêmio de um milhão de dólares - Divulgação/PFL
Outro destaque brasileiro na temporada 2021 do PFL foi o paulista Bruno Cappelozza. Com quatro vitórias, das quais três vieram pela via rápida, o peso-pesado conquistou o título da categoria e embolsou o milionário prêmio - Divulgação/PFL
Raush Manfio foi mais um atleta tupiniquim a se sagrar campeão de sua categoria na temporada 2021 do PFL. O peso-leve entrou no torneio como suplente e surpreendeu ao chegar na final, deixando pelo caminho inclusive o ex-campeão do UFC Anthony Pettis. Na decisão, o atleta da 'American Top Team' superou Loik Radzhabov, vice-campeão de 2019 - Divulgação/PFL
Após sofrer sua primeira derrota na carreira no ano passado, para a ex-campeã Carla Esparza, Marina Rodriguez veio com tudo nesta temporada e conquistou três importantes vitórias, sobre Amanda Ribas, Michelle Waterson e Mackenzie Dern, respectivamente. Pelo retrospecto perfeito em 2021, a gaúcha alcançou o top 3 da divisão dos palhas do UFC e pode estar a um passo de pleitear uma disputa de título - Louis Grasse/PxImages
Se o ano começou de forma desagradável para Patricky 'Pitbull', com uma controversa derrota para Peter Queally, em maio, o potiguar conseguiu terminá-lo da melhor forma possível. Na revanche contra o irlandês, em novembro, o veterano ignorou a torcida contra do público irlandês e nocauteou o rival, conquistando o cinturão peso-leve do Bellator, que estava vago após seu irmão, Patrício, abdicar do mesmo - Divulgação/Bellator
Outro lutador que conseguiu se destacar mesmo tendo apenas uma vitória no ano foi Adriano Moraes. Depois de dois anos sem colocar o cinturão peso-mosca do ONE Championship em jogo, 'Mikinho' teve pela frente o maior desafio de sua carreira até o momento, o ex-campeão do UFC Demetrious Johnson, e se saiu de forma brilhante, com uma vitória espetacular por nocaute que o manteve como soberano da divisão na organização asiática - Divulgação/ONE
Uma das grandes promessas do MMA nacional, André Muniz, o 'Sergipano', colocou de vez seu nome entre os melhores pesos-médios do mundo. Depois de vencer seus dois primeiros combates no UFC, o mineiro de Montes Claros conquistou mais duas vitórias em 2021, ambas por finalização, sendo a primeira delas sobre a lenda do jiu-jitsu Ronaldo 'Jacaré', em maio - Louis Grasse/PxImages
Quem também adicionou mais duas vitórias por finalização ao seu cartel em 2021 foi Vicente Luque. O meio-médio chegou à quarta posição no ranking da categoria no UFC com os triunfos sobre o ex-campeão Tyron Woodley e o grappler Michael Chiesa, em março e agosto deste ano, respectivamente - Louis Grasse/PxImages
Um dos principais destaques do MMA feminino no ano, Taila Santos manteve sua ascensão rumo ao topo da divisão peso-mosca do UFC com duas vitórias sobre adversárias renomadas. A catarinense, que alcançou o top 5 da categoria, superou as experientes Roxanne Modafferi e Joanne Wood, que antigamente utilizava o sobrenome Calderwood, nos seus dois compromissos da temporada - Louis Grasse/PxImages
Depois da frustração de não conseguir o contrato com o UFC em 2020, Gregory 'Robocop' teve um ano perfeito em 2021. Com duas vitórias por nocaute ainda no primeiro semestre da temporada, o peso-médio levou para casa o título do evento 'LFA' e viu as portas do Ultimate se abrirem poucos dias depois da conquista. Já como atleta da principal liga de MMA do mundo, o carioca iniciou sua trajetória com o pé direito, vencendo seus dois compromissos - Diego Ribas/PxImages
Com duas vitórias sobre o campeão peso-médio do UFC Israel Adesanya no currículo, quando ambos competiam no kickboxing, Alex 'Poatan' Pereira chegou ao Ultimate cercado de expectativa e não decepcionou em sua estreia, em novembro deste ano. Diante do grego Andreas Michailidis, o striker paulista suportou a pressão do rival na luta agarrada no primeiro round e, com uma bela joelhada voadora, iniciou sua trajetória no principal evento do mundo com uma vitória por nocaute. Antes, em janeiro, o lutador ainda fez história ao se tornar o primeiro campeão de duas categorias no 'Glory' - Louis Grasse/PxImages
De volta à ativa após cumprir suspensão por doping, Bruno 'Blindado' começou sua carreira no UFC de forma avassaladora. Em menos de seis meses, o paraibano enfileirou três vitórias seguidas, todas por nocaute, diante de Wellington Turman, Andrew Sanchez e Jordan Wright, respectivamente. O desempenho colocou o peso-médio em evidência na liga e seu próximo combate deve ser justamente contra outra aposta brasileira na divisão, o ex-kickboxer Alex 'Poatan', em março de 2022 - Louis Grasse/PxImages
Quem também chamou a atenção na temporada pelo seu poder de nocaute foi a peso-palha Amanda Lemos. Com três vitórias no ano, duas delas pela via rápida, a brasileira subiu importantes degraus na tabela de classificação da divisão até 52 kg do UFC e agora ocupa a 10ª colocação na lista - Diego Ribas/PxImages.

Mais Galerias