Siga-nos

GALERIAS

Eventos do UFC retornam com decisões polêmicas de árbitros e juízes; veja

Após ser obrigado a paralisar suas atividades por quase dois meses devido à pandemia do novo coronavírus, o UFC retornou com três eventos realizados no espaço de oito dias, todos tendo como sede a cidade de Jacksonville, na Flórida (EUA). Como nem tudo são flores, alguns combates foram alvo de polêmicas, sejam por decisões controversas dos juízes ou por falta de critério dos árbitros quanto ao momento de certo de interromper uma luta em razão do castigo sofrido por algum atleta. Nesta galeria, a Ag. Fight mostra as sete maiores controvérsias das edições de retorno do Ultimate
Derrotado por Henry Cejudo no co-main event do UFC 249, realizado no dia 9 de maio, Dominick Cruz reclamou do revés por nocaute técnico a poucos segundos do fim do segundo round, já que, segundo ele, o árbitro Keith Peterson se precipitou ao interromper o combate
Por sua vez, Anthony Smith foi atropelado por Glover Teixeira durante grande parte do duelo travado na luta principal do evento do dia 13 de maio. O árbitro Jason Herzog foi bastante criticado por só ter encerrado o confronto em favor do brasileiro no quinto assalto e, consequentemente, deixado o americano sofrer danos desnecessários
Outro apontado como vítima de uma interrupção tardia da arbitragem é Tony Ferguson. O peso-leve (70 kg) foi duramente castigado pelos potentes golpes de Justin Gaethje na luta principal do UFC 249, dando a impressão de que o árbitro demorou a decidir pelo fim da peleja, que foi vencida por Gaethje por nocaute técnico com pouco mais de três minutos percorridos no quinto round
Vindo de uma derrota polêmica na decisão dividida para Paul Felder, Edson Barboza mais uma vez discordou veementemente da pontuação dos juízes no revés sofrido para Dan Ige, em sua estreia no peso-pena (66 kg), no show do último sábado (16). Grande parte dos fãs e especialistas, além do próprio Dana White, presidente do UFC, apontaram o triunfo do brasileiro e o equívoco cometido pelos jurados
De volta após cumprir suspensão por doping, Fabrício Werdum acabou superado por Aleksei Oleinik na decisão dividida dos juízes. Apesar da atuação reconhecidamente abaixo do esperado do ex-campeão dos pesados, muitos fãs e especialistas viram a vitória do brasileiro no UFC 249, discordando assim da pontuação dos jurados
Ao contrário do seu compatriota, Cláudia Gadelha contou com a pontuação dos juízes para superar Angela Hill no co-main event do show do dia 16 de maio. A decisão dividida dos árbitros laterais em favor da brasileira foi amplamente criticada nas redes sociais
Também pelo card do dia 16 de maio, Marlon ‘Chito’ Vera foi mais uma vítima de uma decisão controversa dos árbitros laterais. A vitória de Song Yadong ao final dos três rounds na pontuação dos juízes surpreendeu até mesmo o chinês, que já parecia conformado com o revés, à espera do anúncio oficial, para desespero do equatoriano

Mais Galerias