Siga-nos

GALERIAS

Confira quem foram os principais destaques do MMA mundial em 2020

O ano de 2020 foi o de consagração de Deiveson Figueiredo. Em julho, o 'Deus da Guerra' conquistou o cinturão peso-mosca (57 kg) do UFC ao finalizar Joseph Benavidez. Ao todo na temporada, o paraense venceu três lutas e empatou uma, além de se aproximar do status de estrela da companhia - Divulgação/UFC
Campeão peso-médio (84 kg) do Ultimate, Israel Adesanya confirmou sua posição como um dos principais astros do MMA na atualidade em 2020. O nigeriano defendeu com sucesso o cinturão da divisão em duas oportunidades na temporada, contra Yoel Romero e Paulo 'Borrachinha', dois dos mais temidos atletas da categoria. 'Izzy' termina o ano com a promessa de disputar o título meio-pesado (93 kg) da liga em 2021 - Natassia Del Fischer/PxImages
Após encerrar sua trajetória no UFC em 2019, Cris 'Cyborg' começou o ano de 2020 com o pé direito. A curitibana superou Julia Budd para conquistar, logo em sua estreia, o cinturão peso-pena (66 kg) do Bellator, se tornando a primeira atleta a ganhar uma cinta em quatro grandes eventos de MMA (UFC, Strikeforce, Invicta FC e Bellator). Em outubro, a campeã conseguiu sua primeira vitória por finalização na carreira, sobre Arlene Blencowe, e defendeu seu título pela primeira vez - Divulgação/Bellator
Nova sensação do UFC, Khamzat Chimaev estreou pela entidade em julho deste ano e logo engatou três vitórias consecutivas. Dominante dentro do octógono e desenvolto com o microfone nas mãos, o russo naturalizado sueco já se posiciona como uma das futuras estrelas da companhia e pode conseguir uma disputa de cinturão já em 2021 - Diego Ribas/PxImages
Com enorme poder de nocaute, Jan Blachowicz atropelou dois adversários duríssimos em 2020, Corey Anderson e Dominick Reyes, e termina o ano como o novo campeão meio-pesado do UFC. Com pouco alarde, o polonês aproveitou a saída de Jon Jones, antigo campeão, da categoria e conquistou o cinturão vago no último mês de julho - Natassia del Fischer/PxImages
Apesar de não ter entrado em ação no segundo semestre de 2020, Gilbert 'Durinho' foi, sem sombra de dúvidas, um dos destaques do ano. O brasileiro superou Demian Maia e o ex-campeão Tyron Woodley, e garantiu uma chance de lutar pelo cinturão dos meio-médios (77 kg) do UFC, contra Kamaru Usman, em disputa que deve acontecer no início de 2021 - Diego Ribas/PxImages
Um dos atletas mais ativos em 2020, Kevin Holland venceu cinco combates no ano, o mais recente deles contra Ronaldo 'Jacaré', no UFC 256. A sequência positiva levou o americano ao top 10 no ranking peso-médio do Ultimate - Diego Ribas/PxImages
Considerada por muitos como a campeã mais dominante do UFC na atualidade, Valentina Shevchenko enfileirou mais duas defesas de título bem-sucedidas em 2020. A lutadora do Quirguistão passou, sem dificuldades, por Katlyn Chookagian e Jennifer Maia, duas das principais concorrentes do peso-mosca do Ultimate - Diego Ribas/PxImages
Em um ano onde vários veteranos deram adeus ao UFC, Glover Teixeira mostrou que ainda há espaço para a velha guarda na principal entidade de MMA do mundo. Com duas vitórias expressivas, sobre Anthony Smith e Thiago 'Marreta', o mineiro chegou à primeira posição no ranking meio-pesado e se aproximou de uma nova disputa pelo cinturão da liga - Diego Ribas/PxImages
Única atleta da lista com apenas uma luta disputada em 2020, Zhang Weili faz parte dos destaques do ano por conta de sua histórica batalha contra Joanna Jedrzejczyk, realizada no último mês de março, no card do UFC 248. A campeã peso-palha (52 kg) do Ultimate levou a melhor sobre a polonesa por pontos, em disputa considerada por muitos como o melhor combate da história do MMA feminino - Louis Grasse/PxImages.

Mais Galerias