Siga-nos
Divulgação/Bellator

Eventos internacionais

Cris ‘Cyborg’ provoca Kayla Harrison para possível luta: “Ronda era mais perigosa”

Cris ‘Cyborg’ não esconde o interesse em enfrentar Kayla Harrison. Constantemente, as lutadoras trocam provocações de forma pública e a rivalidade entre elas ganha cada vez mais destaque. No PFL 8, evento realizado em agosto, na Flórida (EUA), a americana confirmou o favoritismo ao nocautear Genah Fabian no primeiro round, avançou para a final do GP do peso-leve (70 kg) e recebeu elogios de parte da comunidade do MMA. Contudo, a brasileira tratou de frear a expectativa de uma parcela dos fãs quanto ao futuro da atleta.

Em entrevista ao site ‘MMA Fighting’, ‘Cyborg’ deu a entender que Kayla permanece invicta no MMA, com 11 vitórias, porque enfrentou um nível de competição acessível no PFL. De fato, a bicampeã olímpica de judô é a grande estrela da organização. Lá, a americana faturou o GP do peso-leve, em 2019, e alcançou a final do torneio na atual temporada.

Sendo assim, ‘Cyborg’ abriu as portas do Bellator, companhia na qual é campeã do peso-pena (66 kg), para receber a rival. Ao mesmo tempo, a veterana questionou se a americana possui o interesse de se testar diante de atletas de alto nível fora do PFL. Vale destacar que o contrato da lutadora com a organização está próximo do fim. Como ainda não comprou o hype em torno da bicampeã olímpica de judô, a brasileira comparou Kayla com outra representante da modalidade, que teve sucesso em sua aventura no MMA.

“Será uma grande luta. Ela não precisa descer para os penas, a gente pode lutar nos leves. Acredito que ela vá para o UFC, mas pode ganhar mais dinheiro do que Amanda no PFL. Não sei se vai valer a pena, mas podemos fazer uma luta, campeã contra campeã no futuro. Eu deveria lutar contra Ronda antes. Acredito que Ronda era mais perigosa do que Kayla. Ela tinha técnica e suas transições eram rápidas. Kayla ganhou a medalha de ouro nas Olimpíadas, mas há um nível diferente de velocidade e transição para a finalização. As pessoas dizem que ela vai acabar comigo, mas acredito que o wrestling pode vencer o judô”, declarou ‘Cyborg’, antes de completar.

“Ela pode me derrubar, mas consigo derrubá-la também. É uma luta de MMA. Ela deveria se preocupar com a trocação. Se você olhar as lutas dela, as meninas ficam com medo da queda, com medo de dar um soco. Quando você luta com uma judoca, pode achar que talvez seja derrubado, mas é uma luta de MMA. Você não pode ter medo. Ela também tem medo de trocar quando luta. Ela está lutando repetidamente com as garotas. Não precisamos falar de mim ou Amanda. Germaine será uma luta dura para ela, Holm também vai expor sua fraqueza, Budd, muitas garotas podem fazer isso. Ela é jovem, não sei se conhece a história do MMA”, concluiu.

Apesar da dúvida de Cris ‘Cyborg’ quanto a vontade de Kayla Harrison de enfrentar uma competição de maior nível no MMA, a bicampeã olímpica de judô ressalta que seu objetivo é realizar grandes combates para se tornar a melhor lutadora da história do esporte. Tanto que a americana torna público seu interesse em medir forças com a própria campeã do Bellator e também com Amanda Nunes, que domina o UFC.

Mais em Eventos internacionais