Siga-nos

Entrevistas

Rani Yahya elogia adversário no UFC Vegas 33, mas crava: “Tenho mais armas”

No Ultimate desde 2011, Rany Yahya tem mais um compromisso marcado pela maior organização de MMA do mundo. Neste sábado (31), o brasileiro vai atuar no UFC Vegas 33, que acontece em Las Vegas (EUA), contra Kyung Ho Kang e busca dar continuidade ao seu bom momento. Embalado pela vitória conquistada em sua última aparição no octógono, em março, o especialista em jiu-jitsu mostrou confiança para encarar o asiático.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight (veja acima ou clique aqui), Rani analisou Kyung e elogiou a qualidade do adversário. Inclusive, o brasileiro revelou que o sul-coreano já estava em seu radar. Assim como o veterano, o asiático vive grande momento no UFC, já que é dono de uma sequência vitoriosa de três lutas. Contudo, o faixa-preta de jiu-jitsu não titubeou ao afirmar que é superior no grappling e que seu objetivo é finalizar. Como o encontro entre os atletas é a segunda luta mais importante do evento, Rany visa aproveitar o destaque para deixar uma boa impressão para a organização e para os fãs.

“É uma luta importante. Ele é um adversário que eu já olho há muito tempo, lutamos no mesmo card no Japão. Soube que a luta subiu para ser o co-main event, então vai gerar bastante atenção também. Tenho mais de dez anos no UFC, então conseguindo uma vitória dá para firmar meu nome como um dos expoentes da organização. Em vários momentos, esperava que fossem me casar com ele. Ele é um cara que leva muito a luta para o chão. Gostei.

“Não estava esperando essa luta, me surpreendeu um pouco, mas eu já vislumbrava isso. Vi várias brechas no jogo dele. Ele gosta de levar para o chão, faz o ‘ground and pound’ e controla por cima. Esse é o maior perigo dele, mas sinto que sou bem mais perigoso, consigo finalizar bem mais do que ele, tenho mais armas para finalizar. Isso, em uma luta de 15 minutos, tende a me favorecer. Estou focado nele. É um desfaio importante”, concluiu.

Rani Yahya, de 36 anos, é um veterano do UFC. Na maior organização de MMA, o brasileiro, especialista em jiu-jitsu, disputou 18 lutas, venceu 12, sendo sete por finalização, perdeu quatro, empatou uma e outra terminou em ‘no contest’ (sem resultado).

Mais em Entrevistas