Siga-nos

Entrevistas

Norma Dumont promete ‘versão grappler’ contra rival boxeadora no UFC 279

Norma Dumont é conhecida pelo estilo contragolpeador em pé e por suas mãos rápidas no octógono. No entanto, neste sábado (10), no UFC 279, é possível que os fãs de MMA assistam uma nova versão da brasileira em ação. Afinal de contas, Danyelle Wolf, sua próxima adversária, possui um extenso histórico no boxe. De olho nas credenciais da rival americana, a ‘Imortal’ revelou, em entrevista exclusiva à Ag Fight, que pretende usar mais seu jogo de grappling no confronto.

Danyelle competiu apenas uma vez no MMA profissional, quando participou do ‘Contender Series’, em 2020. A escassez de material da americana na modalidade não significa uma grande problema, garante Norma. De acordo com a brasileira, foi possível analisar os pontos fortes e fracos de sua rival às vésperas do combate.

“É uma atleta que tem uma luta só, então (avaliar ela) no MMA é complicado. Mas ela tem muitas lutas de boxe, mais de 60. Conseguimos estudar bastante isso. Ela tem um jab e direto muito rápido e perigoso, mas é até difícil comparar, porque no boxe a atleta se movimenta de uma forma, no MMA, de outra. Então analisamos bastante essa luta dela de MMA (…). Ela deixou claro que não tem muita intimidade com o jiu-jitsu, então vamos tentar trabalhar isso para incomodá-la”, avaliou, antes de dar um palpite para o confronto.

“Gosto de trocar, tenho mais de 30 lutas de trocação, então para mim também é confortável. Mas obviamente eu sei da experiência da Danyelle e também sei o ponto fraco, que é a parte do chão. Então é onde a gente vai trabalhar (…) Vamos de finalização (palpite para a luta), porque até agora não trouxe nenhuma no UFC, e a gente trabalha muito para isso. Mas também não me surpreenderia se eu conseguir um nocaute. Mas vamos trabalhar para colocar no chão e pegar”, previu a brasileira.

Apesar de ser a atual 15ª do ranking dos pesos-galos (61 kg), a brasileira entra em ação no UFC 279 pela divisão dos pesos-penas (66 kg) – uma das menos consolidadas da organização, que não conta nem com ranking. Apesar de admitir ter pouca fé na evolução da categoria, Norma revela que já tem um alvo em mente a ser desafiado, em caso de vitória.

“A gente sempre vai e volta. Toda vez que acabo uma luta de 145 libras (66 kg), os matchmakers dizem que não tem mais ninguém para enfrentar, para eu descer de peso. Quando começou o processo, no meio da descida de peso, recebemos a mensagem: ‘Você vai lutar de 66 kg de novo’. A previsão, que foi combinada com o UFC, é de fazer mais essa luta agora e retornar em dezembro para a divisão até 61 kg. Mas tenho um desafio a fazer na divisão de cima (…) Depois da luta o UFC vai decidir o que fazer, não estou criando expectativa”, afirmou.

Norma é a primeira atleta brasileira a entrar em ação no UFC 279. O esquadrão verde e amarelo também será representado no card de Las Vegas (EUA) por Jailton ‘Malhadinho’ e Johnny Walker.

Mais em Entrevistas