Siga-nos

Entrevistas

Miesha Tate destaca chance de Julianna Peña surpreender Amanda Nunes no UFC 269

Às vésperas de liderar o card do UFC Vegas 43 ao lado da brasileira Ketlen Vieira, em duelo que marcará o segundo combate desde seu retorno da aposentadoria, Miesha Tate não esconde seu interesse no cinturão peso-galo (61 kg) da organização, título que já esteve sob sua posse entre março e julho de 2016. Por isso, ‘Cupcake’, como é conhecida, também estará de olho na próxima disputa da categoria, entre a atual campeã Amanda Nunes e a desafiante Julianna Peña, que acontece no dia 11 de dezembro.

A americana, inclusive, tem uma opinião bastante contrastante de grande parte da comunidade do MMA. Em conversa com a imprensa durante o media day do UFC Vegas 43 (veja acima ou clique aqui), nesta quarta-feira (17), Tate analisou o confronto entre as rivais e destacou as chances de Peña surpreender o mundo das lutas, destronando a atual campeã, considerada ampla favorita para a disputa.

Na visão de Tate, a desafiante – especialista no wrestling e na luta agarrada – possui o estilo de jogo propício para complicar a vida da brasileira no combate. A veterana ainda colocou em xeque a capacidade de reação da campeã caso a mesma seja colocada em uma situação desfavorável durante a disputa, indicando que estes fatores combinados podem fazer com que Julianna Peña se sobressaia e consiga derrotar Amanda.

“Sim, claro que eu gosto (das chances de Peña contra Amanda). Amanda é uma luta dura para qualquer um. Ela é o Monte Everest da divisão, ela é a que todo mundo fica: ‘Será que eu posso fazer (vencê-la)?’. Mas eu acho que se alguém na divisão pode fazer isso (vencer Amanda) neste momento é Juli (Julianna Peña). Ela definitivamente tem a melhor chance. Eu treinei com ela, ela é muito dura, ela não desiste. E ela tem a capacidade de colocar essa luta em lugares onde nós não vimos Amanda ser testada de verdade, em anos. Nós vimos o que ela pode fazer com as pessoas que tentam ficar em pé com ela. Nós não vimos, ultimamente, o que ela vai fazer quando alguém testá-la no solo”, ponderou Miesha, antes de continuar.

“E Juli tem o cardio para fazer isso, ela tem a motivação para fazer isso, ela tem a tenacidade. Ela tem tudo que precisa para colocar Amanda em posições desconfortáveis. E tem outra coisa, eu acho que quando você é a campeã por um período muito longo e você mal perdeu um segundo de uma luta, o que acontece quando você está embaixo de alguém que você não achava que estaria, por alguns minutos ou por um round? O que acontece nesse estado de espírito? Essas são as coisas intangíveis que as pessoas provavelmente não estão levando em consideração e que eu levo, quando vejo alguém como Juli lutando com alguém como Amanda”, finalizou a ex-campeã peso-galo do UFC.

Enquanto a disputa pelo cinturão peso-galo entre Amanda Nunes e Julianna Peña, marcada para o dia 11 de dezembro, no UFC 269, não acontece, Miesha Tate terá a oportunidade de se aproximar de uma chance de lutar pelo título da categoria neste sábado (20), em Las Vegas (EUA). Pelo main event da edição ‘Vegas 43’, ‘Cupcake’ – oitava colocada no ranking da divisão – medirá forças com Ketlen Vieira, número sete na lista. Um triunfo sobre a brasileira pode alavancar a campanha da ex-campeã por um ‘title shot’ no futuro próximo.

Mais em Entrevistas