Siga-nos

Entrevistas

Frustrado pela falta de cinturão, Ngannou reclama de indecisão na categoria dos pesados

Francis Ngannou encara Jairzinho de olho no cinturão dos pesados do UFC – Ag Fight

Ex-desafiante ao cinturão dos pesos-pesados do UFC e atual número dois do ranking da categoria, Francis Ngannou já acumula três vitórias seguidas por nocaute que, somadas, não ultrapassam a marca de dois minutos e meio no octógono. Currículo este que, ao menos em tese, deveria colocá-lo em um lugar de maior destaque no evento. E a negativa para este cenário claramente o incomoda.

Enquanto espera o campeão Stipe Miocic definir uma data para enfrentar Daniel Cormier, e assim finalizar a trilogia com o rival, Ngannou encara o temido Jairzinho Rozenstruik neste sábado (9), no card do UFC 249, para assim possivelmente se credenciar para disputar o título – mesmo que sem a certeza de quando isso poderia ocorrer durante o incerto cenário no meio da pandemia do coronavírus.

“Honestamente, eu não sei. Eu pensei, pensei que minha última luta seria pelo título, mas não foi. Depois, pensei que essa luta seria pela luta pelo título, mas isso não aconteceu. Então eu não sei. Vou ver o que vai acontecer”, afirmou, frustrado, durante coletiva de imprensa realizada nesta quinta-feira (7) via internet.

“Nossa divisão ficou fortemente travada por um longo período. É frustrante e há muita coisa para fazermos para colocar a divisão na linha de novo. Você sabe, as coisas estão estranhas. Faz quase um ano que eles lutaram pelo título e ninguém sabe quando será a próxima vez”, reclamou.

Incomodado com este cenário, Ngannou chegou a pedir pela criação de um cinturão interino na categoria, que seria disputado entre ele e Jairzinho neste sábado. No entanto, a rápida negativa do show em promover tal disputa pareceram apenas ampliar as incertezas para o futuro do atleta de 33 anos.

“Não vou falar sobre isso porque não é minha decisão. É apenas do UFC. O que eu pedi foi pelo título interino, o que resolveria esse problema na minha opinião. Mas eles recusaram”, finalizou.

Neste sábado, Nagnnou, camaronês nacionalizado francês, retorna ao octógono na terceira luta em ordem de importância no card do UFC 249, evento que marca o retorno da organização após a pandemia que obrigou todas as competições esportivas a serem canceladas nos últimos dois meses nos EUA.

Mais em Entrevistas