Siga-nos
exclusivo!
Diego Ribas/PxImages

Entrevistas

Felipe ‘Cabocão’ dedica vitória no UFC para a mãe e promete evolução no boxe

O UFC Vegas 25 mexeu com Felipe Colares. A organização definiu que ‘Cabocão’ lutaria contra Luke Sanders na abertura do evento realizado no último sábado (1º), em Las Vegas (EUA), e o atleta encontrou dificuldades tanto em âmbito profissional, quanto no pessoal. O brasileiro precisava vencer para seguir no Ultimate, conseguiu superar o adversário e dedicou a importante vitória para sua mãe, que batalha contra um câncer.

Em entrevista exclusiva à Ag Fight, um emocionado ‘Cabocão’ comemorou o triunfo sobre Sanders e revelou que o forte laço com a mãe o impulsionou para a virada no octógono. Felipe confessou que não esperava ficar fortalecido pelo atual momento vivido por sua família. Como voltou a vencer no UFC e eliminou qualquer possibilidade de ser cortado em caso de nova derrota, o lutador indicou que vai dar total apoio para a sua maior fã.

“Foi uma grande luta. Tem um grande significado para mim sair como vencedor. Levei a bandeira do norte do Brasil, um povo aguerrido, que luta com o coração. É difícil falar sobre assunto. Na luta, pensei que tinha que ajudar minha mãe. Foi uma grande motivação para mim. Em nenhum momento me puxou para baixo, me fez ser menor do que o cara. Pelo contrário, me motivou e me senti um leão. Para ele me ganhar, tinha que arrancar minha cabeça”, declarou Felipe.

Apesar do resultado positivo diante de Sanders, ‘Cabocão’ admitiu que precisa evoluir para atuar de forma mais segura no octógono. Vale destacar que os atletas protagonizaram uma verdadeira batalha e foram para o tudo ou nada desde cedo. No primeiro round, o americano foi superior e quase nocauteou Felipe.

Como sobreviveu e viu o rival se cansar, o brasileiro equilibrou as ações e, na opinião dos juízes, levou a melhor nos demais assaltos. Após o duelo contra Sanders, ‘Cabocão’ citou o boxe como ponto fraco de seu jogo e o condicionamento físico como principal qualidade, já que suportou bem os 15 minutos de luta.

“Tenho que melhorar meu boxe. Isso é notório. Chuto bem, aplico e defendo quedas, mas, às vezes, deixo a desejar no boxe. Estou ciente disso e sei que tenho que melhorar. Isso vai acontecer com naturalidade. Vou treinar e me aperfeiçoar cada vez mais. Quero agradecer meu preparador físico. Se não fosse ele, eu não teria prevalecido no combate. Cresci minuto a minuto e ainda tinha bastante gás no final. Foi isso que me deu a vitória”, concluiu.

O brasileiro Felipe ‘Cabocão’, de 26 anos, iniciou sua trajetória no MMA em 2013 e estreou pelo UFC em 2019. O lutador ainda busca se firmar no Ultimate. Pela empresa, o atleta disputou quatro combates, venceu dois e perdeu outros dois. Antes de atuar pela companhia, o profissional estava invicto e foi campeão do peso-pena (66 kg) do Jungle Fight. Seu triunfo de maior destaque no esporte foi contra Luke Sanders.

Mais em Entrevistas