Siga-nos
exclusivo!
Diego Ribas/ PXImages

Entrevistas

‘Cigano’ critica postura de Dana sobre sua possível saída do UFC: “Mais pressão”

Além de conviver com o pior momento em sua carreira no MMA profissional, com quatro derrotas seguidas, Junior ‘Cigano’ ainda tem uma outra situação para se preocupar. Nesta má fase, o ex-campeão dos pesados do UFC está sob o fio da navalha de Dana White, presidente da liga, que anunciou um corte de cerca de 60 atletas da organização.

O sinal de alerta do lutador foi aceso após sua última apresentação, quando foi derrotado por Ciryl Gane em dezembro de 2020 por nocaute. Em coletiva de imprensa após o evento, Dana deu a entender que essa poderia ter sido a última luta de ‘Cigano’ dentro do octógono, fato que chamou a atenção do brasileiro que, em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, tratou de responder e criticar o dirigente.

“Vejo com maus olhos (essa postura do Dana) e fico bastante triste. Alguém que se doou tanto ao esporte como eu escutar isso e principalmente vindo da situação que eu vim, ele falando que a culpa foi minha de como aconteceu o golpe. Um absurdo tremendo. Ele coloca mais essa pressão. Quero esquecer 2020, não só pela pandemia, mas profissionalmente também. Não sei qual é a vontade do UFC e do Dana, mas fico triste. São coisas que abalam bastante o atleta, o tira do lugar, mas aconteceu e temos que lidar”, disse o lutador, antes de reforçar sua confiança que pode dar a volta por cima e espantar o mau momento para pedir novas chances de mostrar seu valor no UFC.

“Vamos seguir em frente. Vamos esperar os próximos acontecimentos junto ao UFC (sobre uma possível demissão). Ainda sou um dos melhores, continuo em ótima forma e tenho muito o que fazer. Foi um acontecimento atípico, mas agora é corrigir e também deixar para trás”, completou o brasileiro, que conseguiu seu último triunfo no Ultimate em março de 2019, quando superou Derrick Lewis por nocaute no segundo round.

No MMA profissional desde 2006, Junior ‘Cigano’ viveu seu auge entre novembro de 2011 e dezembro de 2012, quando foi o campeão dos pesados do UFC. Na sua carreira na modalidade, o lutador soma 21 vitórias, sendo 15 por nocaute, e nove derrotas.

Mais em Entrevistas