Siga-nos
exclusivo!

Entrevistas

Deiveson promete melhorar estrutura de academia e revelar novos talentos no Pará

Deiveson Figueiredo é o novo detentor do cinturão peso-mosca do UFC – Natassia del Fischer

Em uma era onde, cada vez mais, grandes academias abrigam os principais talentos do MMA, alguns raros exemplos ainda conseguem chegar ao topo mesmo sem possuir a estrutura de uma equipe estabelecida, como é o caso de Deiveson Figueiredo. Coroado recentemente como novo campeão peso-mosca (57 kg) do UFC, o paraense conquistou o título da principal liga do mundo ainda que tenha feito toda a sua preparação em instalações, em suas próprias palavras, de “fundo de quintal”, contando basicamente apenas com seu talento e o bom trabalho de seus treinadores.

Porém, apesar de satisfeito por provar que não precisava das facilidades que uma equipe renomada provém, Deiveson tem consciência de que para se manter no topo provavelmente terá que fazer mais investimentos em sua academia, localizada no Pará, seu estado de origem e celeiro de outros nomes importantes do MMA nacional. Por isso, em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight (veja abaixo ou clique aqui), o campeão revelou que pretendo montar uma grande estrutura, tanto para manter a sua constante evolução, como para potencializar os jovens talentos da região.

“Eu usei a expressão ‘fundo de quintal’. Claro que a minha academia não é de fundo de quintal, mas, perto das academias que existem nos Estados Unidos, a minha academia é muito pequena. A gente não tem uma estrutura que um campeão merece, um octógono, um ringue dentro. A gente não tem isso. Nós temos apenas um quadrado com sacos pendurados para bater. E, mesmo assim, eu já fui lá, fiz quatro lutas e as quatro eu nocauteei, finalizei, treinando nessa academia. Agora eu quero colocar uma mega estrutura em Belém, do Pará. Eu mostrei ao mundo que eu não preciso sair (do Brasil) para ser campeão do UFC. Eu me tornei campeão do UFC treinando na minha academia”, ressaltou Deiveson, antes de comentar sobre o plano de ajudar na revelação de novos atletas.

“Esse é o foco. É o nosso foco. Eu converso muito com meu irmão e a gente sempre fala sobre isso. A gente quer usar o nosso nome, a academia, para promover atletas. A gente tem muito talento. Belém é composta por talentos, Marajó então. E a gente quer mostrar isso ao mundo. Tem muitos paraenses dentro do UFC, outros que já fizeram parte, e a gente pode encontrar talentos nessa galera nova que está chegando. Só precisam de uma oportunidade, de alguém de nome para ajudá-los a realizar seus sonhos”, concluiu.

No último sábado (18), Deiveson Figueiredo atropelou Joseph Benavidez e, com a vitória por finalização ainda no primeiro round, conquistou o cinturão peso-mosca do UFC. Além de se tornar o primeiro lutador brasileiro campeão nesta divisão de peso, o paraense quebrou o jejum de três anos sem que o Brasil tivesse um título masculino do Ultimate.

Mais em Entrevistas