Siga-nos
exclusivo!

Entrevistas

Alex ‘Cowboy’ abre o jogo e revela drama familiar do passado

Alex ‘Cowboy’ vem de vitória sobre Max Griffin no UFC 248 – Louis Grasse – PXimages

Assim como em seu triunfo sobre Max Griffin, em março deste ano, Alex ‘Cowboy’ pisa no octógono do UFC neste sábado (25), contra Peter Sobotta, na expectativa de poder dedicar a vitória ao mais novo herdeiro, que está prestes a chegar. Porém, uma coisa mudou nos últimos meses. Se no combate anterior, o meio-médio (77 kg) aguardava a chegada de gêmeos, agora, depois de exames de ultrassonografia conflitantes e a sentença final do médico responsável, o lutador espera que apenas um bebê saia do ventre de sua companheira, o filho número dez do atleta.

Apesar da palavra final do médico, a dúvida ainda persiste na cabeça do lutador, especialmente por sua família ter casos de filhos gêmeos, como ele próprio. Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight (veja abaixo ou clique aqui), Alex comentou sobre a situação que vive e abriu o jogo, pela primeira vez, sobre um assunto delicado de seu passado familiar.

De acordo com ‘Cowboy’, seus pais, por medo da reação do seu avô materno, tentaram interromper a sua gravidez com a ajuda de remédios. Apesar disso, o lutador conseguiu sobreviver e nasceu saudável. Destino diferente de sua irmã gêmea, que veio ao mundo natimorta, e só foi descoberta após complicações de saúde pós-parto de sua mãe.

“Ainda não nasceu (o décimo filho). É um só, a mulher está quase explodindo. Vai nascer daqui a pouco. A mulher ficou grande de verdade. Eu perguntei para o médico (se ele tinha certeza que só tinha um bebê). Paguei ultrassom e falei: ‘Não acredito, a mulher vai explodir a qualquer momento’. E ele falou que era um só mesmo. Agora tiramos a dúvida. Já fizemos seis ou sete ultrassons, dois mostraram que eram dois (bebês), e o resto mostrou só um”, explicou Alex, antes de fundamentar sua dúvida sobre a gestação de sua companheira por ele próprio ser gêmeo.

“Eu era gêmeo. Minha mãe achava que era só um (filho), ela tomou remédio e tudo. Quando eu nasci, minha mãe teve derrame, um bocado de coisas, aí quando foi ver tinha uma menina lá dentro. Minha irmã nasceu morta. Minha mãe ficou muito mal, passou por alguns problemas, hemorragia interna. Antes, meu avô aceitava minha mãe com o meu pai, mas quando minha mãe ficou grávida, meu pai pediu para tirar por causa do meu avô. Aí minha mãe tomou remédio, mas eu sou pedra dura, nasci mesmo assim. Afetou minha irmã, mas não me afetou. Eu nasci saudável, grandão, todo mundo dizia que era só um. Fecharam minha mãe de novo, costuraram ela, daqui a pouco minha mãe deu hemorragia interna. Abriram de novo e tinha mais uma criança lá dentro, que era minha irmã. Minha mãe passou por aquele processo todo, mas graças a Deus hoje ela está firme e forte. É isso aí, a vida é isso mesmo”, contou.

Neste sábado, Alex Cowboy encara Peter Sobotta no card do quarto evento promovido pelo UFC na ‘Ilha da Luta’, em Abu Dhabi (EAU). Aos 32 anos, o brasileiro soma 20 vitórias, oito derrotas, um empate e dois ‘no contests’ (luta sem resultado) em seu cartel. Já seu adversário possui 17 triunfos, um empate e seis reveses em sua carreira.

Mais em Entrevistas